[RESENHA #598] o fim do mundo, de Upton Sinclair

O fim do mundo, do premiado escritor estadunidense Upton Sinclair, retorna às livrarias com a célebre tradução de Lúcio Cardoso


APRESENTAÇÃO

Lanny Budd, protagonista deste O fim do mundo, é um jovem americano que nunca pisou nos Estados Unidos. Nasceu na Suíça e cresceu na Riviera Francesa; seus melhores amigos são um inglês e um alemão. A verdade é que Lanny é um cidadão do mundo, e ele sabe disso no fundo do seu coração. Mas será no decorrer de sua vida, ao testemunhar a própria História, que Lanny Budd se provará um grande emissário da humanidade no século XX.

Este é o mote de O fim do mundo, de Upton Sinclair, um dos mais célebres escritores americanos. Jornalista investigativo e ganhador do Prêmio Pulitzer de Ficção, Sinclair mescla, com maestria e exatidão, fatos e personalidades históricos a um enredo ficcional singular. O resultado é um romance de formação liderado por Lanny Budd, que, com seu olhar curioso, apresenta a leitores e leitoras os paradoxos e as complexidades de um século de disputas políticas, econômicas e éticas.

Junto de Lanny, testemunhamos os eventos que transformarão os rumos da História. Serão apresentados os sentimentos de uma época que permitiram tanto as emoções do jazz quanto os temores dos primeiros bombardeios aéreos. Lanny Budd presencia, em posição privilegiada, a Primeira Guerra Mundial, os bastidores do Tratado de Versalhes, entre outros acontecimentos, enquanto vive dramas individuais e angústias cotidianas – muito próximas das atuais. O fim do mundo é um romance para todos, uma oportunidade para observar um passado que o presente ainda espelha.

Um livro atemporal como os próprios conflitos humanos, este romance é indispensável para quem se interessa por grandes leituras históricas que propõem-se a adentrar em grandes acontecimentos mundiais cujo enredo, tal qual uma boa ficção, são cheios de reviravoltas dignas de serem recontadas inúmeras vezes, pois, esquecê-las, seria um perigo.

RESENHA

O fim do mundo, ou world ends [título da versão americana] é um romance publicado pela primeira vez em 1940 e reeditada pela editora José Olympio, selo do Grupo Editorial Record no Brasil, em 2023. A obra é o primeiro volume de uma série de onze livros que narram a história de seu protagonista Lanny Budd. As obras somam um total de mais de sete mil páginas e percorrem diferentes períodos da história da humanidade, tendo seu apogeu narrando a primeira e segunda parte da primeira guerra mundial.

A ordem da série de livros Lanny Budd, Upton Sinclair:

  1. Fim do mundo [World's ends,1940]
  2. Entre dois mundos [Between Two Worlds,1941]
  3. Dentes de dragão [Dragon's Teeth, 1942]
  4. Largo é o portão [Wide Is the Gate, 1943]
  5. Agente presidencial [Presidential Agent, 1944]
  6. Colheita do dragão [Dragon Harvest, 1945]
  7. Um mundo para ganhar [A World to Win, 1946]
  8. Missão presidencial [Presidential Mission, 1947]
  9. Uma chamada Clara [One Clear Call, 1948]
  10. Ó pastor, fala! [O Shepherd, Speak!, 1949]
  11. O retorno de Lany Budd [The Return of Lanny Budd, 1953]

A RESENHA A SEGUIR CONTÉM REVELAÇÕES SOBRE O ENREDO

Lanny Budd, um garoto de treze anos que passa o verão de 1913 em uma escola de música perto de Dresden. Ele faz amizade com Kurt Meissner, descendente de uma família governante alemã, e Rick Pomeroy-Nielson, filho de um visconde inglês. O autor, Upton Sinclair, narra a história de Lanny e seus amigos ao longo de várias décadas turbulentas na série de onze volumes.

Lanny foi criado na Riviera Francesa por sua mãe, Beauty, enquanto seu pai, Robbie, visitava regularmente para vender armas fabricadas pela família Budd Gunmakers. Embora Robbie nunca tenha se casado com Beauty, ele estabeleceu um fundo para que eles morassem em uma villa à beira-mar em Juan-les-Pins, perto de Cannes. Lanny cresceu sem educação formal, mas teve acesso a idiomas, música e a sociedade dos amigos ricos de Beauty. Robbie ensinou a Lanny história e diplomacia, habilidades necessárias para vender armas às potências europeias. No entanto, Basil Zaharoff, um concorrente perigoso, planeja absorver a empresa Budd e comanda o gigante de armas Vickers.

A vida idílica de Lanny é interrompida por incidentes desconcertantes. Robbie fica furioso ao descobrir que o irmão de Beauty, Jesse, apresentou Lanny a seguidores do sindicalismo. Durante uma viagem de trem de volta para casa após visitar a família de Kurt, um social-democrata adverte Lanny sobre a condição de escravidão dos plebeus na Silésia e aconselha-o a evitar certos aristocratas prussianos, incluindo o pai de Kurt. No mesmo trem, Lanny conhece Johannes Robin, um empreiteiro judeu de Roterdã, o que o faz questionar a ausência de judeus em sua vida até então. De volta à França, um barão russo em quem Lanny confiava o atrai e o agride. Diante dessas novas questões, Beauty contrata um psiquiatra e um tutor para Lanny. Ele absorve o novo conhecimento e descobre que o amigo pintor de Beauty, Marcel Detaze esconde um segredo intrigante.

Lanny, Rick e Kurt se encontram em Londres para assistir a peças e óperas. Lanny é assaltado em uma favela pobre perto do hotel chique de Beauty. Sentado perto do Royal Box em Ascot Racecourse, Lanny pergunta a Rick se o rei está ciente da pobreza. Rick sugere que a educação vai curar a pobreza. Kurt diz que a pobreza não é permitida na Alemanha. Os meninos discutem sexo. Chega a notícia de que o arquiduque Franz Ferdinand da Áustria foi assassinado em Sarajevo. Os amigos concordam que tais assuntos são irrelevantes para sua busca pela arte, mas uma mensagem instrui Kurt a voltar para casa imediatamente. Antes de deixar a Inglaterra, Lanny se apaixona por Rosemary, uma bela aristocrata inglesa.

Lanny e Beauty encontram Robbie em Paris quando a guerra começa. Marcel se junta ao exército francês. Lanny ajuda a transcrever novos pedidos em código Budd para fiação. Rick se torna um piloto de caça britânico; Kurt se junta ao exército alemão. Marcel fica gravemente ferido, mas sobrevive para se casar com Bela. Para consternação de Beauty, Marcel se alista novamente e não se ouve mais falar dele. Robbie permanece neutro na guerra; ele diz que o verdadeiro objetivo da guerra é o petróleo. 

A partir deste ponto, a narrativa ganha ainda mais corpo e forma e torna toda a trama ainda mais intensa e intrigante, o desenvolvimento dos personagens é algo palpável e torna a leitura fluida e misteriosa. Espero ansiosamente, que a editora José Olympio lance todos os volumes desta aventura. Indicado para todos, sem exceção. 

O AUTOR

Upton Beall Sinclair, Jr. foi um autor americano que escreveu cerca de cem livros em vários gêneros. Ele alcançou popularidade na primeira metade do século XX, adquirindo fama particular por seu romance clássico de denúncias, The Jungle (1906). Para reunir informações para o romance, Sinclair passou sete semanas trabalhando disfarçado nos frigoríficos de Chicago. Essas experiências diretas expuseram as terríveis condições na indústria de embalagem de carne dos EUA, causando um alvoroço público que contribuiu em parte para a aprovação, alguns meses depois, da Lei de Alimentos e Medicamentos Puros de 1906 e da Lei de Inspeção de Carne. The Jungle permaneceu continuamente impresso desde sua publicação inicial. Em 1919, ele publicou The Brass Check, uma denúncia do jornalismo americano que divulgou a questão do jornalismo amarelo e as limitações da “imprensa livre” nos Estados Unidos. Quatro anos após a publicação inicial de The Brass Check , o primeiro código de ética para jornalistas foi criado. A revista Time o chamou de "um homem com todos os dons, exceto humor e silêncio". Em 1943, ganhou o Prêmio Pulitzer de Ficção.


© all rights reserved
made with by templateszoo