companhia das letras

10 livros famosos que foram proibidos ao redor do mundo

Confira a listagem de alguns dos livros mais famosos que foram proibidos e censurados ao redor do globo

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

/ by Vitor Zindacta

Seja uma história escandalosa de sexo ou simplesmente o ato de se discutir com um animal falante, muitas pessoas encontraram motivos para proibir alguns dos melhores e mais famosos livros do mundo. Processos judiciais foram disputados, livros foram queimados e a censura foi estabelecida. Descubra as histórias fascinantes de 12 livros famosos que foram proibidos em países desde os EUA até a ex-URSS.

O Amante de Lady Chaterly, de D.H, Lawrence



‘A relação sexual começou / em mil novecentos e sessenta e três / (o que foi bastante tarde para mim) / Entre o fim da proibição de‘ Chatterley ’/ e o primeiro LP dos Beatles.’.

Lady Chatterley marcou uma mudança sísmica na sociedade. Publicado pela primeira vez em na Itália em 1928, a decisão da Penguin Random House de publicar o texto explícito original em 1960 levou a talvez o julgamento mais famoso da história literária. Sua eventual publicação o vendeu às centenas de milhares e ajudou a trazer a revolução sexual dos anos 1960.


Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley

Um conto de advertência de um mundo que se acostumou demais ao conforto artificial baseado na exploração, os censores do impetuoso velho mundo acharam muito do livro intragável. A Irlanda proibiu Admirável Mundo Novo pelo que considerou seus comentários contra a religião e a família tradicional, bem como seu uso de linguagem forte, e a Índia chegou a chamar Huxley de "pornógrafo" por sua descrição de um mundo onde o sexo recreativo era encorajado desde tenra idade.

Trópico de Câncer, Henry Miller

Mais de trinta anos de ação legal, a franca sexualidade das reflexões de Henry Miller sobre a condição humana fez de Trópico de Câncer um livro incrivelmente famoso, apesar do fato de que poucos tiveram a chance de lê-lo. Afinal, quem não ficaria curioso sobre um livro descrito por um juiz da Pensilvânia como "um esgoto aberto, um poço de putrefação, uma reunião nojenta de tudo que está podre nos escombros da depravação humana"? Essa reputação e a publicação legal do livro na década de 1960 foram uma referência importante, sem a qual todos os livros francamente sexuais publicados desde então não poderiam existir.

Os versos satânicos, Salman Rushdie

Embora os livros tenham sido proibidos antes e depois de Os Versos Satânicos, nenhum levou seu autor a ter uma sentença de morte. Na verdade, poucos livros modernos têm uma história de publicação tão sangrenta. Como resultado deste livro, Salman Rushdie teve que se esconder por uma década inteira depois que o aiatolá do Irã emitiu uma fatwa,(pronunciamento legal emitido por um especialista em lei islâmica quando existem dúvidas de como proceder em determinada situação) uma fatwa que também levou à morte do tradutor japonês de Rushdie. Lamentado por muitos no mundo muçulmano por sua aparente blasfêmia, foi queimado nas ruas na Grã-Bretanha e em todo o mundo islâmico.

Lolita, Vladimir Nabokov


Um livro banido cuja recepção frequentemente obscurece seu conteúdo real, muitos que vêm a Lolita esperando ficar horrorizados ou excitados ficarão desapontados. Uma sátira amarga aos valores americanos em meados do século 20, suas poucas passagens quase eróticas são poucas e distantes entre si. Isso não impediu que seu assunto polêmico fosse considerado proibido no Reino Unido e na França geralmente liberal nos anos 50, após um dos primeiros pânicos morais dos tabloides ser lançado sobre ele pelo Sunday Express.

Ulisses, James Joyce


Talvez o livro mais intelectual do mercado, muitos perdem completamente as referências à masturbação no capítulo "Nausíaca" da obra-prima de James Joyce, Ulisses, e muitos outros nem chegam tão longe quanto esse capítulo, perdendo-se na famosa prosa impenetrável. Isso não impediu que a seção fosse declarada obscena pelos tribunais depois de ser publicada em um jornal literário. Talvez os censores tenham achado o livro todo tão difícil de entender que acreditaram que ele poderia estar vendendo sujeira semelhante em outras passagens, pois o romance inteiro foi proibido nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha durante a maior parte da década de 1930, com o serviço postal dos Estados Unidos queimando cópias enviadas no correio.

Nada de novo no Fronte, Erich Maria Remarque


Embora muitos livros tenham se encontrado nas fogueiras nazistas de 1933, incluindo escritores e pensadores seminais como Kafka, Thomas Mann e Albert Einstein, nenhum foi tão crítico da Alemanha do tempo de guerra quanto nada de novo no fronte. Visto como antipatriótico pelos nacional-socialistas e até por um número de militares e escritores não-nazistas alinhados, o que esses grupos e indivíduos não gostaram no livro é exatamente o que o torna um relato tão convincente dos verdadeiros horrores da guerra.

A revolução dos bichos, George Orwell

Embora não seja nenhuma surpresa que a sátira velada de Orwell às brutalidades do comunismo tenha sido proibida na URSS stalinista, seu status de livro proibido durou muito depois da queda do Muro de Berlim. A revolução dos bichos ainda é proibido em Cuba e na Coreia do Norte (pelos mesmos motivos pelos quais foi banido pelos soviéticos), e também foi proibido no Quênia por suas críticas à corrupção e, mais bizarramente por escolas dos Emirados Árabes Unidos, por sua representação de um porco falante o que foi considerado contrário aos valores muçulmanos.

O apanhador no campo de centeio, JD Salinger



O apanhador no campo de centeio tem a fascinante dupla distinção de ser o mais proibido e o segundo livro mais ensinado nas escolas americanas. Seus defensores o veem como o olhar definitivo para as frustrações e o tédio da vida adolescente, ao passo que seus promotores o veem como causador de tudo, desde assassinatos a suicídios e a disseminação das ideias comunistas na América. O que os censores não conseguiram perceber, no entanto, é que banir um livro devido à sua representação de rebelião adolescente só vai fazer com que os adolescentes rebeldes o procurem ainda mais.

As Vinhas da Ira, John Steinback


Talvez o maior elogio que um autor pode receber, a descrição de John Steinbeck das duras condições de trabalho na Califórnia da época da Depressão foi tão brutal que foi proibida no condado para onde a família Joad se muda, apesar de historiadores confirmarem que o retrato de Steinbeck era fiel à vida . As autoridades locais no condado de Kern convenceram os trabalhadores a queimar o livro em uma série de oportunidades fotográficas, ironicamente reforçando ainda mais a manipulação experimentada pelos trabalhadores migrantes na área que Steinbeck retrata de forma tão devastadora em As vinhas da ira.

The Well of Loneliness, Radclyffe Hall


Emblemático de quão repugnante a maioria considerava a homossexualidade no início do século 20, o romance lésbico de Radclyffe Hall estava no centro de um julgamento de obscenidade, apesar de não apresentar cenas eróticas, exceto um breve momento em que está apenas implícito que as duas figuras podem ter passado a noite juntas . Não importa o quão casto seja o conteúdo do livro, os censores acharam um livro escrito por uma lésbica e com personagens lésbicas muito obsceno para publicação. Embora contrariada por luminares da literatura, incluindo os Woolfs, EM Forster e TS Eliot, a campanha contra The Well of Loneliness permanece uma mancha homofóbica na história literária da Grã-Bretanha.

Psicopata americano, Brett Easton Ellis


Embora Psicopata Americano lentamente se transforme em uma sátira, um leitor tem que ler centenas de páginas de arrancamento de olhos, cortes de seios e unhas antes que isso se torne aparente de qualquer maneira. Não é de se admirar, então, que o livro tenha sido amplamente proibido, com muitos outros países vendendo o livro embalado com um rótulo com restrição de idade. Mesmo em lugares onde não é proibido, os escritores mais sensíveis podem desejar que também tivesse sido.

Postagem mais recente
Next Story Postagem mais antiga Página inicial
siga-nos no Instagram: @postliteral
Leia[+]
© all rights reserved
made with by templateszoo