Crítica: Central do Brasil, 1998


Central do Brasil é um filme brasileiro de 1998 dirigido por Walter Salles. O filme é produzido pela VideoFilmes, escrito por João Emanuel Carneiro e Marcos Bernstein, e estrelado por Fernanda Montenegro e Vinícius de Oliveira. A trama se passa no Brasil e se concentra em Dora, uma professora aposentada que trabalha na Estação Central do Brasil como escritora de cartas para pessoas analfabetas. Ela ajuda Josué, um garoto cuja mãe morreu atropelada por um ônibus, a encontrar seu pai no Nordeste.

A interpretação de Montenegro foi muito elogiada pelos críticos e pela imprensa nacional e internacional. Ela recebeu uma indicação ao Oscar na categoria de Melhor Atriz, tornando-se a primeira latino-americana, a única brasileira e a única atriz a ser indicada ao prêmio por uma atuação em língua portuguesa. Montenegro também foi indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz em Filme Dramático.

Dora e Josué, personagens em torno das quais fira a trama do enredo. Foto: Divulgação

O filme recebeu vários prêmios e indicações em todo o mundo. Além da indicação ao Oscar de Melhor Atriz, Central do Brasil foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, ao Independent Spirit Award e aos Prêmios César, entre outros. O filme também venceu o BAFTA, o Globo de Ouro, o National Board of Review e o Prêmio Satellite, todos na mesma categoria.

Central do Brasil também foi premiado no Festival Internacional de Cinema de Berlim, onde conquistou o Urso de Ouro de Melhor Filme e o Urso de Prata de Melhor Atriz. Em novembro de 2015, o filme entrou na lista dos 100 Melhores Filmes Brasileiros de Todos os Tempos, realizada pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema.

"Central do Brasil" é um filme incrível que traz à tona uma história emocionante e impactante. A direção precisa de Walter Salles e a atuação espetacular de Fernanda Montenegro fazem dessa obra um verdadeiro tesouro do cinema brasileiro.

O enredo nos leva a uma jornada de autoconhecimento e redenção, tendo como pano de fundo a realidade social do Brasil. Através do relacionamento improvável entre Dora, uma ex-professora amargurada, e o jovem Josué, somos mergulhados em emoções intensas e profundas.

Momento em que Dora acorda em uma calçada, sobre o colo de Josué, que ampara a mulher tão só quanto ele; esta cena compõe uma imagem que remete à Pietá invertida. Foto: Divulgação

A fotografia é deslumbrante, capturando com maestria a beleza do país e, ao mesmo tempo, expondo sua cruel realidade. Cada cena é cuidadosamente construída, revelando detalhes sutis que nos fazem refletir sobre a complexidade humana e as relações interpessoais.

A trilha sonora é arrebatadora e se torna um personagem por si só, complementando perfeitamente cada momento do filme. A forma como a música é utilizada para expressar as emoções dos personagens é simplesmente genial, nos envolvendo de forma ainda mais profunda na trama. Além disso, "Central do Brasil" aborda temas universais como o amor, a busca pela identidade e a importância dos laços familiares. O roteiro é brilhantemente escrito, explorando nuances e reviravoltas que mantêm o espectador completamente envolvido e surpreso até o último minuto.

Todo o elenco está excepcional, mas Fernanda Montenegro merece destaque especial. Sua atuação intensa e cheia de nuances, transmitindo emoções e sentimentos de forma tão realista, é simplesmente inesquecível e digna de aplausos. "Central do Brasil" é um filme que toca o coração e nos faz refletir sobre a importância de valorizar as pequenas coisas da vida. É uma verdadeira obra-prima do cinema nacional, que merece ser apreciada e celebrada.

Assista ao trailer:



© all rights reserved
made with by templateszoo