[RESENHA #590] A anatomia do crime, de Val McDermid


APRESENTAÇÃO

Val McDermid pega o bisturi para desvendar os segredos da ciência forense, da cena do crime até o tribunal. Vencedor do Anthony Award de Melhor Livro Crítico/Não Ficçã, A anatomia do crime revela detalhes de casos terríveis e desafiadores que chocaram o mundo.

Os mortos falam. Pelo menos para o ouvinte certo, eles contam tudo: quem são, como morreram e quem os matou. Cientistas forenses conseguem revelar os mistérios do passado e ajudar a fazer justiça a partir de pistas deixadas num cadáver, na cena de um crime, ou com base nos menores vestígios humanos.

A anatomia do crime traça uma trajetória desde o início do estudo forense até o auge da ciência moderna e fundamenta-se em entrevistas com profissionais renomados, pesquisas inovadoras e experiências de campo da própria autora para revelar os segredos dessa fascinante ciência. Val McDermid investiga como larvas em cadáveres podem ajudar a determinar a hora da morte, como um vestígio de DNA do tamanho de um grão de sal pode ser usado para condenar um assassino e como uma equipe de jovens cientistas argentinos, liderada por um antropólogo americano, identificou vítimas de um genocídio.

Em seus romances policiais, os protagonistas de Val McDermid solucionam crimes complexos e enfrentam males inimagináveis. Agora quem protagoniza este livro são as pessoas reais que trabalham com isso. Em A anatomia do crime, a autora nos leva para zonas de guerra, cenas de incêndio e salas de autópsia. O true crime como você nunca viu.

“Moscas que se alimentam de sangue, estômagos exumados e rigor mortis voluntário: Val McDermid analisa como as intrigantes ferramentas da ciência forense têm resolvido assassinatos terríveis ao longo dos anos” The Guardian

“Fascinante. Val McDermid é uma das escritoras de romance policial mais habilidosas e supera todas as expectativas ao escrever como uma verdadeira autoridade sobre os fatos por trás de eventos abomináveis” The Washington Postt


RESENHA

A anatomia do crime, de Val Mcdermid é uma obra de teor não-ficção, onde a autora desdobra-se à explicar o estudo e a importância de pistas no desenvolvimento da solução de um problema em uma cena do crime através de vestígios pelo cenário, como, insetos, manchas de sangue, queimaduras, impressões digitais, DNA, dentre outros inúmeros resquícios que acabam passando despercebido pelos autores no decorrer de suas atrocidades.

A noção de que o direito penal deve se basear em provas é relativamente nova -- prefácio, pag. 9

A ciência forense surgiu como uma luz no fim do túnel para investigação empírica e profunda acerca do cenário do crime para solução das problemáticas advindas do crime hediondo à se ser julgada. Essa técnica, relativamente nova foi a forma encontrada para driblar os antigos métodos ortodoxos de punição e condenação antes em vigor, como: o tom da pele dos indivíduos, parentescos com pessoas ligadas ao ocorrido, suposições e descrições imprecisas acerca dos motivos para concretização do laudo pericial acerca do óbvio, que foi se decaindo e dando espaço para uma ciência que surgiu aos poucos pretendendo-se alinhar as pistas e o estudo do cenário criminal para estabelecer a ordem dos acontecimentos e condenar de forma mais justa os envolvidos no desfecho em julgamento.

Já no primeiro capítulo temos a oportunidade de analisar uma frase provocadora: a cena é a testemunha silenciosa, de Peter Arnold [perito criminal]. Em síntese, a cena do crime é a responsável pelo alinhamento do estudo da sequência de fatos no dia do ocorrido, ela é responsável por dizer com precisão a ordem dos acontecimentos, as armas usadas durante o procedimento e as possíveis lutas corporais desenvolvidas durante todo processo, bem como descoberta dos envolvidos por meio de DNA, sangue ou qualquer pista que ligue de forma concreta aos participantes do crime em determinada cena.

A obra aborda questões como a investigação de um cenário de incêndio; Entomologia; patologia; toxicologia; impressões digitais; manchas de sangue e DNA; Antropologia; Reconstrução facial; Computação forense; O tribunal e conclusões acerca do desenvolvimento da investigações.

No capítulo quatro, patologia, a autora desdobra-se nas explicações acerca da patologia forense, embora a patologia seja seja frequentemente caracterizada como o estudo da doença, nesta ramificação de estudo, ela liga-se mais aos efeitos da doença no corpo do que em seu desenvolvimento, assim sendo, a pericia forense analisa com cautela não somente a doença em si e seu desenvolvimento, mas os vestígios que a provocaram, bem como seus efeitos no pós morte. As pessoas se impressionam mais com uma morte violenta e repentina do que com qualquer outra, porque de uma forma ou de outra, ainda que tangencialmente falando, atribui-se culpa ao estilo de vida ou por decisões que ocasionaram em tal acontecimento. Entre outras, a outra utiliza um caso para ilustrar a frase, uma garota foi encontrada morte e seu corpo não demonstrava, aparentemente, nenhuma causa plausível para tal, desta forma, a pericia forense encarregou-se de examinar o corpo, concluiu-se que, ela havia morrido por enforcamento e luta corporal, de uma forma ou de outra, o relacionamento dela com o réu ocasionou este trágico final. Claro, há exemplos que podem ser mais precisos e claros, mas todos tomam um único caminho: as escolhas da vítima, parentesco ou amizade com o réu, dentre outros aspectos lúdicos que fomentaram a investigação. PARA MIM, o melhor capítulo do livro, embora toda sua estrutura seja grandiosa.

Já em toxicologia (p.102), a autora explica que o pior veneno para a morte é a dosagem. Em síntese, há substâncias que ao serem ingeridas em uma dosagem recomendada, cura feridas e ameniza sintomas de outras doenças, mas uma superdosagem podem ter efeitos colaterais permanentes, ou até mesmo morte. A toxicologia é a ciência responsável por estudar os efeitos dos agentes químicos no corpo, ela explica de forma cautelosa e pericial os efeitos que causaram o óbito do indivíduo, bem como as causas primárias.

Em síntese, a obra da autora é extremamente rica e lúdica em seus propósitos, uma obra que certamente fará qualquer leitor se apaixonar pela pericia forense, uma obra magnífica e sem precedentes, a mais completa até o momento, e o melhor, explicada de forma clara e acessível com exemplos claros de acontecimentos que fomentam ainda mais a explicação.

© all rights reserved
made with by templateszoo