companhia das letras

Sociedade dos poetas mortos (1990) ► [resenha fílmica]

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

/ by Vitor Zindacta


Sociedade dos Poetas Mortos (Dead poets Society).Direção: Peter Weir. Elenco: Robin Williams, Robert Sean Leonard, Ethan Hawke, Josh Charles, Gale Hansen, Dylan Kussman, Allelon Ruggiero, James Waterston, Norman Lloyd, Kurtwood Smith, Carla Belver, Leon Pownall, George Martin, Joe Aufiery, Matt Carey e outros.1989,DVD (129 min), color.

Sociedade dos Poetas Mortos relata a história de uma renomada e tradicional escola preparatória para meninos, a Academy Welton, focada em passar seus ensinamentos de forma mecanizada, esses valores traduziam-se em quatro grandes pilares: tradição, honra, disciplina e excelência. Com a chegada do novo professor de Literatura, o Sr. Keating, focado em formar seus alunos em pensadores e não copistas, entra em confronto com a direção da mesma escola. Com os revolucionários métodos de Sr. Keating os alunos começam a ter uma visão diferente e a contestar ao que realmente querem se formar. Ao falar da Sociedade dos Poetas Mortos aos seus alunos, eles começam a se enteressar sobre suas reuniões e achar que como ele também teve suas oportunidades de escolher o que deveria aprender, eles também pudessem fazer o mesmo. O filme relata a visão de uma escola autoritátia e tradicional onde a visão certa era dos professores e a escolha correta de suas profissões eram de seus pais.

Os modos do Sr. Keatling como ao chegar à sala assoviando ou ao mandar arrancarem às páginas de Introcução à Poesia causa espanto aos alunos e uma diferenciação entre todos os profeesores, acostumados com a grande formalidade. O professor afimava que um poema não eram apenas palavras, primeiramente deve-se haver o sentimento, no filme mostra-se a cena onde Anderson não consegue escrever um poema mas, o professor o instigua a falar, e toda a sala percebe que ele é um grande poeta sem palavras escritas em um belo poema como texto.

Com todo o impulso do professor, um de seus alunos, o jovem Neil, descobre seu amor por atuar mas seus pais não aprovam sua escolha e então decidem o mandar à um colégio militar, decepcionado com a escolha, Neil comete suicídio e os pais culpam a escola e o professor é visto como o grande causador e é demitido. Levando a culpa do jovem ter cometido suicídio pois sonhava em ser ator. Quando o professor vai á sala pegar seus pertences todos os alunos decepicionados com sua ida desobedecem as ordens do diretor e o chamam de “ O capitão. Meus capitão” e mostra o quão grande era o amor de todos seus alunos.
Enfim, é possível ainda hoje ver professores como o Sr. Ketaing, com suas idéias inovadoras de que, ensinar está além do papel mas na maneira de pensarmos e que ensinar é formar o coração, como dizia o Beato Spinola.
Postagem mais recente
Next Story Postagem mais antiga Página inicial
siga-nos no Instagram: @postliteral
Leia[+]
© all rights reserved
made with by templateszoo