companhia das letras

Análise: A revolução dos bichos, de George Orwell

domingo, 8 de agosto de 2021

/ by Vitor Zindacta


Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, 'A Revolução dos Bichos' é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos. Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stalin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética. Com o acirramento da Guerra Fria, a obra passou a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell repetiria o mesmo gesto anos mais tarde com seu outro romance 1984, finalizado-o às pressas à beira da morte para que o mesmo service de alerta ao ocidente sobre o horrores do totalitarismo comunista.

É irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens. Escrito com perfeito domínio da narrativa, atenção às minúcias e extraordinária capacidade de criação de personagens e situações, A revolução dos bichos combina de maneira feliz duas ricas tradições literárias: a das fábulas morais, que remontam a Esopo, e a da sátira política, que teve talvez em Jonathan Swift seu representante máximo.

Distopia / Fábula / Literatura Estrangeira / Fantasia / Ficção

ISBN-13: 9788535909555
ISBN-10: 8535909559
Ano: 2007 / Páginas: 152
Idioma: português
EditoraCompanhia das Letras

Parte A 
I – Obra
a) Resenhista. : SOARES, Ana Lúcia
a)b. George Orwell
b) c. A Revolução dos Bichos
c) d. Tradutor: Heitor Aquino Ferreira
d) e. 1943, Inglaterra
e) f. Fonte Digital – Versão para eBook
Ano: 2000
Edição: Redendo Castigat Mores

f) g. 144 páginas
g) h. Formato
h) Preço Atual: R$ 26,44
II – Biografia:


Eric Arthur Blair, conhecido pelo pseudónimo Gerorge Orwell era escritor e jornalista. Nasceu em 25 de Junho de 1903, Motihari. Morreu aos 46 anos em 21 de Janeiro de 1950 Camden, Londres Inglaterra . Orwell em 2008 ficou em Segundo lugar em uma lista do The Times onde apontava os 50 maiores escritores britânicos desde 1945.
III – Conclusões da Autoria
Ao analisar a obra, Vemos que a fábula tem como objetivo mostrar que na grande maioria dos seres vivos, sejam humanos ou animais traz dentro de si o vírus da sede do poder o autoritarismo, ganancia e a vingança mas mostra também as consequências , principalmente daqueles que veem as coisas mudando para pior e nada fazem para mudar.
IV – Digesto (resumo completo)


Tudo acontece na Granja do Solar, onde o proprietário se chama Sr Jones. Ouve um tempo em que Jones até cuidava bem de sua propriedade.
Mas após um momento difícil em sua vida ele passou a beber e deixar de lado cuidados básicos da fazenda como a manutenção geral e até mesmo a alimentação dos bichos. O que levou Jones a chegar a esse ponto foi um processo na justiça em que ele perdeu.


Logo se tornou um homem cada vez mais amargo e insensível, para ele os animais tinha que trabalhar além do normal. Major era o porco mais velho que existia na fazenda e todos os outros animais sempre ficavam atentos a tudo que ele tinha a dizer. E por ser o bicho mais velho e com mais conhecimento do que havia no mundo fora das redondezas da fazenda, sempre que possível reunia os bichos para palestrar um pouco sobre a vida. Um dia convocou todos para uma reunião no celeiro onde falou sobre os abusos dos humanos contra os animais e disse a todos ali presentes que o dia da revolução estava próximo. E era tudo o que o velho Major queria.


Ele ensinou a todos a canção que mais parecia um hino, o hino chamado “Bichos da Inglaterra”. Era uma canção que falava de liberdade para todos os animais. A revolução nada mais era que uma resposta que seria dada a todos os humanos. E quando isso acontecesse os Bichos de todas as fazendas e em todos os cantos da Inglaterra seriam Livres e assim poderia viver soltos e iriam trabalhar apenas para sua própria sobrevivência e não mais para satisfazer o homem que só sabia escravizar a todos os animais para garantir suas fortunas.


O porco Major morre e após alguns dias de seu falecimento é chegado o dia da Revolução dos Bichos, após mais uma decepção que os animais tiveram com Jones, colocaram ela pra fora de sua fazenda, e a partir dai os bichos eram os novos donos da fazenda. Os animais criaram os sete mandamentos , que foram escritos na parede do celeiro e que dizia:


1- O que andar sobre duas pernas é inimigo
2- O que andar sobre quatro pernas ou tiver asas é amigo
3- Nenhum animal vestirá roupas
4- Nenhum animal dormirá em uma cama
5- Nenhum animal beberá álcool
6- Nenhum animal poderá matar outro
7- Todos os animais são iguais


Mas o que era pra ser o inicio da união dos bichos, afinal esse era o intuito, com o passar dos dias foram acontecendo muitas desavenças e conspirações entre os próprios animais. E como sempre, aparece um que tenta lavar vantagem na ingenuidade de alguns. Foi assim que Napoleão que também era um porco muito inteligente, transformou a fazenda em seu território colocando o porco Bola de Neve para fora da granja, fazendo todos os animais trabalharem ainda mais, racionando mais ainda a comida e modificando aos poucos tudo aquilo que estava escrito nos sete mandamentos. Os animais acabam por perceber que nada mudou e que tudo continuava como antes, sem liberdade, sem alimento em abundancia e presos como sempre estiveram.

Parte B - Sapiência


V – Método empírico – indutivo
Ou
Método categórico –.
VI – Quadro de referência da autoria (a quem ou a que o autor se refere? Teoria e/ou autor que embasam a obra?
O autor se refere ao autoritarismo e mostra que não a diferença entre o Sr Jones e Napoleão.
VII – Quadro de referência do Resenhista
Este livro chama a atenção pois em forma de Fábula descreve perfeitamente como os governantes agem em sua maioria. E é possível reconhecer várias situações do nosso dia a dia atual.
VIII - Analise/Critica detalhada do Resenhista.
a) Análise e crítica detalhada das idéias do autor, do conteúdo do livro, das mensagens transmitidas.

A Obra mostra todos os lados de uma sociedade, a aqueles que se aproveitam e a aqueles que se deixam ser enganados, pois ver que as coisas não mudam e não agir para mudar absolutamente nada é o que se vê muito e em todos os lugares.

b) Com quais ideias concordou e/ ou discordou? Cite-as. Justifique sua opinião. Faça reflexões.
Não tem como não notar a realidade mesmo que em forma de fábula, a visão do autor é clara ao que se refere o poder que transforma e que faz se tornar cruel todo e qualquer ser vivo. Passa uma mensagem clara e direta de como se comporta todo aquele que se deixa levar por alguém que se impõe acima de todos, só restará obedecer e aceitar o que lhe for dado, resumindo, muito pouco.

c) Percebeu incoerências, exageros, utopias, inverdades? Quais? Por
quê? Esta leitura modificou sua visão sobre o assunto ou apenas
reforçou velhos conceitos?
Reforçou velhos conceitos com toda certeza e por conta disso faz com que eu veja tudo que acontece em minha volta com mais analise não somente de desconfiança de que o outro irá mostrar apenas seu lado maldoso, mas sem duvida faz com que eu queira mais de alguém que se diz líder. Afinal se está lá é porque colocamos, e se não estamos satisfeitos basta apenas querer de fato a mudança.
d) Não só analise este item - que é o mais importante da resenha - como
também critique-o com argumentação profunda.


A fábula apresenta na Obra é muito interessante ao que se refere a semelhança entre bichos e humanos. Tem em seu conteúdo informações que podem ser consideradas válidas para o entendimento por exemplo de movimentações revolucionárias que acontecem também nos dias atuais , ajudando o leitor a refletir sobre o que é real e o que não é. Ajuda a entender o que é só barulho e o que de fato reivindicação de direitos.
e) Faça paralelos com a sua vida profissional e/ou pessoal e com a
monografia ou dissertação de mestrado que você pretende apresentar.
f) Análise e crítica detalhada da forma como o autor transmitiu suas ideias:
Orwell de uma forma simples passa para todos que o autoritarismo é sim uma realidade e sempre existirá.


g) Linguagem, vocabulário, uso de termos técnicos, sequência etc..
É possível entender claramente tudo que o autor quer passar em sua obra, pois a linguagem é simples e de fácil entendimento.
h) Análise e crítica da apresentação formal do livro: Poderia ter algumas informações como, por exemplo formato, ou maiores informações sobre o autor, ou pequenos trechos de sua vida ou outras obras que venha a ter criado.


Sua obra é marcada por uma inteligência perspicaz e bem-humorada, uma consciência profunda das injustiças sociais, uma intensa oposição ao totalitarismo e uma paixão pela clareza da escrita. Conhecido também pelo romance Nineteen Eighty-Four (1949). Outro livro de sua autoria, Homage to Catalonia (1938)

i) Título, capa, tradução, origem do livro (país e ano), edição e ano,
tamanho do livro e das letras, papel, encadernação (apresente
separadamente estes três aspectos no item VIII).
A Revolução dos Bichos, Reino Unido, 1945, 1ª Edição, tamanho 14,00 x 21, 00 cm.


IX - Indicações do Resenhista:
Obra indicada a todos incluindo crianças também. É uma leitura que irá prender a atenção de todos. Causa vários sentimentos e é essa mistura de sensações que faz da obra tão interessante.

Postagem mais recente
Next Story Postagem mais antiga Página inicial
siga-nos no Instagram: @postliteral
Leia[+]
© all rights reserved
made with by templateszoo