Crítica: Anônimo, 2021

SINOPSE
Não recomendado para menores de 18 anos

Em Anônimo, Hutch Mansell (Bob Odenkirk) é um pacato pai e marido que sempre arca com as injustiças da vida, sem revidar. Quando dois ladrões invadem sua casa, Hutch se recusa a defender a si mesmo e sua família na esperança de evitar qualquer violência, desapontando seus familiares com sua passividade. As consequências do incidente acabam despertando uma raiva latente em Hutch, desencadeando instintos adormecidos e impulsionando-o em um caminho brutal que irá trazer à tona segredos sombrios e habilidades letais.



CRÍTICA

"Anônimo" seria um forte concorrente de "John Wick"? Narrando a história de um homem quase comum, o enredo nos apresenta um assassino aposentado que decide se dedicar à família. Assim como "John Wick", ele decide abandonar a vida de crimes e seguir sua vida cuidando de sua família. Em "Anônimo", Bob Odenkirk tem sua casa invadida, assim como em "John Wick". Ele opta por não confrontar os ladrões e recebe a hostilidade de sua família em troca, uma vez que sua vida estava monótona, como mencionado no início da obra. Ele então decide abandonar a calmaria e sai em uma noite em busca de energia. Ele pede a Deus que abra portas, e a partir daí sua vida se revira completamente após agredir seis homens em um ônibus ao perceber que estes estavam se preparando para abusar sexualmente de uma passageira desacompanhada.

Um dos rapazes que fica em coma induzido é irmão de um poderoso chef da máfia russa, e todo o enredo se desenvolve em busca de vingança. O que não se espera é o envolvimento frenético do pai do protagonista nos acontecimentos, que parece apoiá-lo até o final da obra.

Como todo filme de ação, este não é diferente. A obra é repleta de uma tensão que provoca toda uma sequência de pancadaria e mortes constantes, uma receita que parece funcionar bem e talvez seja o motivo para o sucesso da franquia "John Wick". Os estúdios, após estudarem a recepção do público em enredos de ação, entenderam que há uma repulsa pela repetição de atores, o que os fez abandonar atores já conhecidos nessas histórias e investir em um novo astro na casa dos cinquenta anos. A obra recebeu 94% de aprovação no site especializado Rotten Tomatoes e uma nota de 4.7 no site brasileiro AdoroCinema.

Se levarmos o enredo em consideração, podemos inferir que a obra é magistral em diversos sentidos, não apenas pela sequência de acontecimentos minuciosamente construídos com um personagem habilidoso, forte e temido. Porém, se levarmos em consideração a previsibilidade do roteiro, entenderemos que este filme é apenas mais um entre tantos outros que descreve um assassino aposentado em busca de vingança para proteger algo ou alguém, neste caso, a própria família do protagonista. Pessoalmente, a obra é incrível do começo ao fim e cativa constantemente a atenção do telespectador.

A atuação de Bob Odenkirk é surpreendente, mostrando uma nova faceta como protagonista de filmes de ação. Sua transição do papel de um homem comum para um assassino letal e implacável é extremamente convincente. Odenkirk entrega uma atuação física impressionante, semelhante àquela de Keanu Reeves em "John Wick", e demonstra estar totalmente à vontade no papel.

A direção de Ilya Naishuller é notável, trazendo uma atmosfera sombria e repleta de tensão para o filme. As cenas de ação são coreografadas de forma impecável, com sequências explosivas e uma violência crua que prendem a atenção do espectador. O uso de técnicas de filmagem inovadoras, como a câmera em primeira pessoa durante as cenas de luta, adiciona um elemento único e imersivo à narrativa.

Além disso, o roteiro de Derek Kolstad é bem estruturado, com momentos surpreendentes e reviravoltas inesperadas. A trama é desenvolvida de forma coesa e os diálogos são bem escritos, revelando detalhes sobre o passado misterioso do protagonista e as motivações dos personagens.

No entanto, apesar de todos os pontos positivos, "Anônimo" não consegue escapar de algumas convenções do gênero de filmes de ação. A história de um assassino aposentado em busca de vingança é um tema recorrente em Hollywood, e muitos elementos do enredo são previsíveis para aqueles familiarizados com esse tipo de filme.

Apesar disso, a obra consegue se destacar e se tornar uma experiência cinematográfica emocionante e empolgante. "Anônimo" prova que é possível inovar dentro do gênero de filmes de ação, trazendo um protagonista diferenciado e uma abordagem visualmente arrojada.

No geral, "Anônimo" é uma obra que certamente encontrará seu lugar entre os fãs do gênero de filmes de ação. Com sua narrativa envolvente, atuações impressionantes e sequências de ação de tirar o fôlego, o filme é uma opção empolgante para os amantes de adrenalina no cinema. Embora não seja tão inovador quanto "John Wick", "Anônimo" merece seu próprio espaço no panteão dos filmes de ação de sucesso. Cabe a nós ressaltar que toda semelhança com o filme de Keanu Reeves é notável, por este motivo, há uma repetição frenética e constante à menção da obra.

Postar um comentário

Comentários