[RESENHA #709] Os irmãos Karamazov, de Dostoiévski



Os irmãos Karamázov é o último romance de Dostoiévski. No fundo, ele resume toda a criatividade do escritor, trazendo à baila as "malditas" questões existenciais que o afligiram a vida inteira, com especial relevo para a flagrante degradação moral da humanidade afastada dos ideais cristãos. Cheia de peripécias, a narrativa põe em foco três protagonistas irmãos, representantes dos mais diversos aspectos da realidade russa – o libertino Dmítri, o niilista Ivan e o sublime Aliocha –, a fim de alumiar as profundezas insondáveis do coração entregue ao pecado, corrompido por dúvidas ou transbordante de amor.

RESENHA


"Os Irmãos Karamazov", uma obra-prima literária de Fiódor Dostoiévski, publicada em 1879, é considerada uma das maiores realizações da literatura russa e global. Sigmund Freud, o fundador da psicanálise, a considerou a "maior obra da história" e a colocou ao lado de "Édipo Rei" e "Hamlet" como textos fundamentais que exploram a tensão entre pai e filho e retratam o complexo de Édipo.

A história se desenrola em uma cidade russa remota, contada por um narrador que parece ser uma testemunha ocular dos eventos. O narrador frequentemente se desculpa com o leitor por não conhecer todos os detalhes, por achar que a história é longa (o livro tem mais de 700 páginas mesmo em edições grandes) e por achar que seu herói é pouco conhecido ou até mesmo insignificante. A narrativa não apenas dialoga com o leitor, mas também é onipresente e sugere ou infere os pensamentos dos inúmeros personagens.

A trama gira em torno de uma família problemática em uma cidade russa. O patriarca da família, Fiódor Pavlovitch Karamázov, é um palhaço libertino que fez fortuna principalmente graças aos dotes de suas duas esposas, ambas mortas prematuramente, e à sua mesquinhez. Ele tem um filho de cada esposa: Dmitri Fiodorovitch Karamázov da primeira esposa, e Ivan e Aliêksei Fiodorovitch Karamázov da segunda esposa. Enquanto Ivan se torna um intelectual atormentado por sua própria inteligência, Aliêksei se torna uma pessoa mística e pura, entrando para um mosteiro na cidade.

"Os Irmãos Karamazov" é uma crítica inteligente aos principais problemas da Rússia do final do século XIX, especialmente a questão da pobreza e a situação financeira da população russa da época. Dostoiévski, que viveu em um país em decadência financeira, descreve esses problemas através de diálogos e narrações de alguns personagens no livro. Suas críticas ao capitalismo tentam penetrar a alma humana e revelar o que era pouco visível para o mundo ocidental em uma literatura rica em questionamentos.

Estudar Dostoiévski é mergulhar em uma literatura cheia de discussões sobre o pensamento e o comportamento humano. Bakhtin o considerou um dos maiores romancistas da literatura russa e um dos artistas mais inovadores de todos os tempos.

Os Irmãos Karamazov" aborda várias temáticas e nos leva a uma discussão filosófica, nos faz refletir sobre os valores humanos do nosso tempo. É um livro cheio de enigmas em um jogo de discussões e dúvidas. Usando de vários personagens, Dostoiévski discute o embrutecimento das relações humanas baseadas em situações de domínio pelo outro, ou pela falta de uma condição financeira mais favorável. Esta obra de Dostoiévski nos traz a uma reflexão sobre as fragilidades dos laços humanos, sobre a sociedade e seus problemas sociais e pessoais tão profundos a ponto de gerar níveis de insegurança maiores em um leitor não preparado para uma leitura mais profunda, chega a afetar negativamente a fé, os laços familiares e amorosos, e afeta também a capacidade de tratar um estranho com humanidade, com respeito e carinho.

Em uma crítica positiva, "Os Irmãos Karamazov" é uma obra intensa que oferece uma visão penetrante da psicologia humana e da sociedade. Dostoiévski habilmente tece uma narrativa que é ao mesmo tempo emocionante e profundamente filosófica. Através de seus personagens complexos e multifacetados, ele explora temas de vício, amor, desespero e redenção. Sua representação vívida do vício em jogos de azar é especialmente poderosa, servindo como uma metáfora penetrante para a natureza humana e a busca incessante por significado e propósito. Em última análise, "Os Irmãos Karamazov" é uma obra-prima literária que continua a ressoar com os leitores modernos, oferecendo uma visão inesquecível da condição humana.
© all rights reserved
made with by templateszoo