companhia das letras

Resenha: Til, Jose de Alencar

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

/ by Vitor Zindacta


ISBN-13: 9788525426192
ISBN-10: 8525426199
Ano: 2012 / Páginas: 236
Idioma: português
Editora: L&PM

Til, narrativa da maturidade de Alencar publicada em folhetim no jornal A República, revive o ambiente do interior paulista do século XIX. Nesse cenário, mesclando traços essencialmente brasileiros ao lirismo romântico europeu, o autor apresenta Berta (mais conhecida como Til), uma jovem excepcionalmente generosa, Jão Fera, um facínora de notável nobreza, Luís Galvão, um respeitado pai de família que esconde um segredo, Miguel, um bravo jovem indeciso entre dois amores, e Brás, um menino quase bicho mas encantado pela doçura de Berta, entre tantos outros. Nesta obra, José de Alencar constrói uma história baseada no amor e no heroísmo, alinhada ao seu projeto maior de busca de uma identidade nacional a partir da reafirmação do regional, completando um grandioso painel formado por O sertanejo, O gaúcho e O tronco do ipê.

Literatura Brasileira / Romance / Infantojuvenil / Ficção


RESENHA
No ano de publicação de Til, o Brasil estava envolvido com a aprovação da Lei do Ventre Livre (1871), que garantia a liberdade a filhos de escravos nascidos no Brasil. O livro narra a história de Besita, moça pobre, porém das mais belas da região, é objeto de desejo tanto de Luis Galvão, jovem fazendeiro, quanto de Jão, um órfão que foi criado junto com Luis Galvão. A moça corresponde ao amor do rico fazendeiro, mas este não tem interesse em desposar Besita, pois ela é pobre. Influenciada por seu pai, Besita acaba casando-se com Ribeiro. Esse, logo após a noite de núpcias, parte em viagem para resolver problemas relacionados a uma herança de família e fica anos afastado. Durante o período em que Ribeiro não se encontra pela região, Luis procura Besita, que o recebe achando tratar-se de seu marido. Desse encontro nasce Berta.

Uma tarde, Ribeiro retorna e, ao encontrar sua esposa com uma filha, descontrola-se e assassina Besita. Jão não consegue evitar a morte dela, mas consegue salvar Berta, que passa a viver com nhá Tudinha e seu filho Miguel. Zana, uma negra que vivia com Besita, enlouquece após presenciar o assassinato desta. Jão torna-se capanga dos ricos da região, cometendo várias mortes e tornando-se o temido o Jão Fera.

Quinze anos depois de assassinar sua esposa, Ribeiro retorna irreconhecível e com o nome de Barroso. Com o propósito de vingar-se de Luis Galvão, ele contrata Jão Fera, que não o reconhece. Porém, Berta descobre as intenções de Ribeiro e consegue salvar Luis.
Em uma segunda tentativa, dessa vez com a ajuda de alguns escravos da Fazenda das Palmas, Ribeiro incendeia o canavial. Ao tentar apagar o fogo sozinho, Luis leva uma pancada na cabeça. Quando está para ser lançado ao canavial em chamas, Luis é salvo por Jão, que mata os responsáveis pelo incêndio, com exceção de Ribeiro.

Após isso, Jão Fera é preso em Campinas. Sabendo da ausência desse, Ribeiro planeja uma outra vingança, dessa vez contra Berta. Aproxima-se dela, que está com Zana, mas nesse momento chega Jão (que tinha se libertado) e mata Ribeiro de forma violenta. Brás, sobrinho de Luis com problemas mentais, leva Berta para ver a cena. Ela foge horrorizada e João, sabendo que a moça o desprezava a partir de então, entrega-se a polícia.
Convém neste ponto relatar a relação entre Brás e Berta. O jovem Brás possui problemas mentais e é completamente excluído em sua família. Apesar de Brás ser apaixonado por Berta, ela não pode corresponder aos sentimentos do rapaz, resolvendo então ensinar o abecedário e rezas a ele. Porém, o menino tem grandes dificuldades em aprender, tendo apenas decorado o acento "til", que o encantava. Para facilitar o aprendizado, Berta se autonomeia Til e passa a ensinar Brás relacionando cada coisa com nomes de pessoas que ele conhecia.

Em certo momento, Luis decide contar toda a verdade para sua esposa, D. Ermelinda. Em um primeiro momento ela se entristece, mas depois passa a apoiar o marido e decide que ele deve reconhecer Berta como filha. Dessa forma, os dois a procuram e contam tudo, omitindo as partes desagradáveis. Jão foge mais uma vez da prisão e vai procurar Berta. Desconfiada que Luis Galvão e sua esposa escondem algo, ela implora a Jão que conte toda a verdade sobre a história de sua mãe Besita, o que Jão faz. Berta se emociona com a história e abraça Jão, dizendo que ele sempre cuidou dela, sendo, então, seu pai.
Luis quer que Berta vá morar com ele, mas ela nega e pede que ele leve Miguel. Todos partem e Berta fica na fazenda com Jão Fera e Brás.

PRINCIPAIS PERSONAGENS

Berta, Inhá ou Til: personagem principal do livro, filha do fazendeiro Luis Galvão com Besita, é a representação típica da heroína romântica.
Miguel: filho de nhá Tudinha, mostra-se apaixonado por sua irmã de criação, Berta.
Luis Galvão: dono da Fazenda de Palmas. Pai de Berta.
Linda: filha de Luis Galvão e D. Ermelinda.
Afonso: Irmão de Linda. Possui o mesmo espírito conquistador de seu pai e acaba se apaixonando por Berta, sem saber que é sua irmã de sangue.
Jão Fera: capanga dos ricos da região, um homem temido. Sem conseguir salvar Besita, por quem era apaixonado, passa a proteger Berta, após a morte de sua mãe.
Brás: sobrinho de Luis Galvão que sofria de ataques epiléticos e era débil mental. Era apaixonado por Berta ( a quem chamava de TIL).
Zana: negra que trabalhava para Besita e que enlouquecera após presenciar o assassinato de Besita.
Rebeirão: marido de Besita. Logo após a noite de núpcias, parte para longe, e fica anos afastado. Ao voltar, encontra a esposa com uma filha, planeja vingança e assassina Besita. Promete vingar-se de Luis Galvão e Berta.
D. Ermelinda: esposa de Luis Galvão

ANÁLISE CRÍTICA

A obra do José de Alencar, TIL, é uma obra triste, emocionante, e ao mesmo tempo, possui um pouco de ação. A obra fala um pouco de diferença social, amor, e principalmente a VINGANÇA do Ribeiro. Na minha visão, é uma história um pouco trágica, mas, particularmente, gostei da história. A história de Berta é bem emocionante, porque ela perdeu sua mãe bem nova, e teve que encarar tudo com muita coragem. Eu achei uma boa história de superação, e mostrar que precisa de coragem para encarar as pessoas, e que só nós mesmos, não conseguimos isso, e que precisamos de amigos para estar conosco quando precisamos.

Postagem mais recente
Next Story Postagem mais antiga Página inicial
siga-nos no Instagram: @postliteral
Leia[+]
© all rights reserved
made with by templateszoo