companhia das letras

Senhora, de José de Alencar

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

/ by Vitor Zindacta


ISBN-13: 9788532205872
ISBN-10: 8532205879
Ano: 1999 / Páginas: 162
Idioma: português
Editora: FTD

Aurélia Camargo, filha de uma pobre costureira e órfã de pai, apaixonou-se por Fernando Seixas – homem ambicioso - a quem namorou. Este, porém, desfez a relação, movido pela vontade de se casar com uma moça rica, Adelaide Amaral, e pelo dote ao qual teria direito de receber.

Passado algum tempo, Aurélia, já órfã de mãe também, recebe uma grande herança do avô e ascende socialmente.Passa, pois, a ser figura de destaque nos eventos da sociedade da época. Dividida entre o amor e o orgulho ferido, ela encarrega seu tutor e tio, Lemos, de negociar seu casamento com Fernando por um dote de cem contos de réis. O acordo realizado inclui, como uma de suas cláusulas, o desconhecimento da identidade da noiva por parte do contratado até as vésperas do casamento. Ao descobrir que sua noiva é Aurélia, Fernando se sente um felizardo, pois, na verdade, nunca deixara de amá-la. E abre seu coração para ela. A jovem, porém, na noite de núpcias, deixa claro: "comprou-o" para representar o papel de marido que uma mulher na sua posição social deve ter. Dormiram em quartos separados. Aurélia não só não pretende entregar-se a ele, como aproveita as oportunidades que o cotidiano lhe oferece para criticá-lo com ironia. Durante meses, uma relação conjugal marcada pelas ofensas e o sarcasmo se desenvolve entre os dois.

RESENHA

Senhora de José de Alencar é um livro do período Romântico que teve um papel muito importante para a sociedade do século XIX, trazendo criticas e inovação em muitos aspectos da literatura.

O grande destaque está em sua protagonista feminina que se recusa a aceitar o papel da mulher na sociedade do século XIX. Aurélia se mostra uma mulher forte e muito a frente do seu tempo, zomba da hipocrisia em que as pessoas vivem e controla seu destino ao recusar casar-se apenas por dinheiro, tendo grande senso de justiça. Ao tanto que não perde sua características românticas ao orquestrar seu casamento com Simão, aonde ela é movida pelos sentimentos de raiva e vingança mas também o de esperança ao acreditar que ele recusaria sua proposta pois estava realmente apaixonado por Adelaide e não apenas pelo seu dote.

O livro também apresenta inovação no modo de narração da história ao começar com Aurélia já rica e aos poucos contar sua trajetória até o momento e justificar seus atos ao se casar com Simão. Simão é o personagem que maior apresenta mudança durante toda a trama, começando extremamente superficial e vaidoso, ao final do livro se mostra um homem honrado ao quitar sua divida com a amada. Marcando a transição do período Romântico para o período Realista, Senhora apresenta uma diferença aos outros livros românticos a apresentar um final feliz e não uma história trágica, mostrando que Alencar mesmo criticando muito a sociedade em que vivia também acreditava no poder de mudança e mostrando isso através de seus personagens principais.

A mudança de Simão, sendo a mais impactante, só é possível através de toda a humilhação que ele passa e todo o sentimento que ele descobre ter por Aurélia, apenas a noção de sua realidade e a força de vontade de se tornar uma pessoa honrada e conquistar sua amada possibilita tal mudança, neste personagem podemos ver a metáfora do que seria a sociedade da época e que a mudança era necessária para conseguir chegar ao ponto de honra e bons valores.

Muito importante em sua critica social Senhora é um livro atemporal que pode ser facilmente encaixado na sociedade atual e representou muito bem o terceiro período Romântico no qual começam a aparecer qualidades Realistas.

Postagem mais recente
Next Story Postagem mais antiga Página inicial
siga-nos no Instagram: @postliteral
Leia[+]
© all rights reserved
made with by templateszoo