companhia das letras

Resenha: O apanhador no campo de centeio, J.D Salinger

domingo, 8 de agosto de 2021

/ by Vitor Zindacta

ISBN-13: 9788587575012
ISBN-10: 8587575015
Ano: 1999 / Páginas: 208
Idioma: português
Editora: Editora do Autor

À espera no centeio (O Apanhador no Campo de Centeio na edição brasileira) narra um fim de semana na vida de Holden Caulfield, jovem de 16 anos vindo de uma família abastada de Nova York. Holden, estudante de um reputado internato para rapazes, volta para casa mais cedo no inverno depois de ter recebido más notas em quase todas as matérias e ter sido expulso.

RESENHA

Existem poucos livros na literatura americana tão polêmicos quanto "O apanhador no campo de centeio", de J.D. Salinger. Ele tem sido relacionado à tentativa de assassinato do presidente Reagan e ao assassinato de John Lennon, supostamente inspirando aqueles leitores preocupados em suas tarefas indescritíveis. O romance se tornou mais do que um romance, tornou-se seu próprio dispositivo literário. Sempre que você vê um personagem em outra história ou mesmo em um filme lendo, você não pode deixar de pensar que algo ruim vai acontecer. Recentemente, li o romance de Judy Blume "In the Improvable Event". Nesse trabalho, um personagem recebe uma cópia do livro e, junto com ele, uma sensação de pressentimento assustador.

A revista Time listou a obra mais famosa de Salinger como o quarto livro mais proibido nos Estados Unidos. Pessoas que criticam o livro que está sendo ensinado na escola apontam para a linguagem da obra e a moral questionável. Este ano, para a Banned Books Week, o truque para mim foi esquecer aquela história controversa e apenas me concentrar na própria história. Em seu cerne, "Catcher in the Rye" é uma história trágica e pessoal sobre um jovem que está apenas tentando descobrir o mundo ao seu redor e seu lugar nele. São os sentimentos sobre a humanidade, seu desejo de significado e propósito são todas as coisas com as quais nós, leitores, podemos nos relacionar.

Holden Caulfield é um adolescente solitário que acaba de ser expulso de uma escola preparatória de elite na Costa Leste. O cronograma do livro abrange apenas três dias. Holden passa esse tempo vagando pela cidade de Nova York, implorando para que alguém o ouça de verdade. E como ninguém sabe, ele vê todos como falsos, pessoas que na verdade não são exatamente humanas. E é isso. Não há muito enredo além disso. Todo mundo decepciona Holden, desde professores favoritos que nunca parecem dizer a coisa certa, o mentor que faz um avanço sobre ele e amigos que simplesmente não o entendem. Ele nunca encontra o amor que deseja ou qualquer razão para acreditar na humanidade.

O que torna este livro perigoso não é sua história ou intenções ocultas. É o fato de que isso se aplica à parte de nossa psique que todos nós compartilhamos de vez em quando. Aqueles momentos em que olhamos ao redor do mundo e pensamos que tudo é ridículo, falso e que vale a pena odiar. Quer venha da angústia típica de adolescente ou simplesmente de assistir a reality shows, todos nós às vezes nos perguntamos ... alguma coisa realmente importa? O apanhador no campo de centeio luta contra o pensamento sombrio de que talvez tudo seja falso e sem sentido. A maioria dos autores consideraria essa premissa psicológica como essa para um conto, mas Salinger a estende por mais de 200 páginas, mergulhando cada vez mais fundo na espiral descendente espiritual de Holden.

A diferença entre Holden e as pessoas que encontram inspiração em sua filosofia niilista é que Holden encontra algum tipo de significado no mundo. Esses três dias são seu exorcismo, empurrando para fora sua visão pessimista da humanidade. No final, Holden quebra sua angústia, encontrando inspiração na inocência de sua amada irmã presa em uma carruagem durante uma tempestade. É triste que este momento de redenção receba muito menos atenção do que o tom taciturno do resto do livro. No final, Holden não desiste do mundo, e talvez essa seja a verdadeira mensagem de Salinger. E isso não é tão polêmico, é?

Postagem mais recente
Next Story Postagem mais antiga Página inicial
siga-nos no Instagram: @postliteral
Leia[+]
© all rights reserved
made with by templateszoo