[RESENHA #924] Ansiedade: Como Enfrentar o Mal do Século Augusto Cury

Vivemos em uma sociedade de excessos. Somos bombardeados por informações que, na maior parte das vezes, não conseguimos absorver. Somos cobrados, pressionados, nos tornamos reféns da nossa mente. Essa situação alterou algo que deveria ser inviolável - o ritmo de construção de pensamentos -, gerando consequências seríssimas para a saúde emocional, o prazer de viver, a inteligência, a criatividade. Pensar é bom, pensar com consciência crítica é melhor ainda, mas pensar excessivamente é uma bomba contra a qualidade de vida e um intelecto criativo e produtivo.Em Ansiedade: como enfrentar o mal do século, o conceituado psiquiatra e psicoterapeuta Augusto Cury apresenta a Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), uma das doenças mais penetrantes da atualidade. Ainda pouco conhecida por psicólogos e psicopedagogos, não raro a SPA é confundida com hiperatividade ou transtorno do déficit de atenção. Neste livro, você conhecerá os sintomas e as consequências desse mal bem, como as técnicas para enfrentá-lo e recuperar sua tranquilidade, emocional e mental.

RESENHA

O livro Ansiedade: Como Enfrentar o Mal do Século, de Augusto Cury, é uma obra de psicologia aplicada que busca explicar as causas e as consequências da Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), considerada pelo autor como o novo mal do século, que afeta milhões de pessoas no mundo todo. O livro também oferece dicas e estratégias para controlar a ansiedade, gerenciar as emoções e resgatar a qualidade de vida.

O enredo do livro se baseia na experiência clínica e nas pesquisas do autor, que desenvolveu a Teoria da Inteligência Multifocal, que estuda o funcionamento da mente humana e os processos de construção do pensamento. O autor apresenta casos reais de pacientes que sofrem de ansiedade e mostra como eles podem superar esse problema com a ajuda de técnicas como o choque de lucidez, o diálogo interno, a gestão da emoção e a proteção da memória.

Os personagens principais do livro são o próprio autor, que narra sua trajetória profissional e pessoal, e seus pacientes, que representam diferentes perfis de pessoas ansiosas, como executivos, estudantes, professores, pais, filhos, etc. O autor também cita exemplos de personalidades históricas, como Jesus Cristo, Gandhi, Mandela, Einstein, entre outros, que souberam lidar com a ansiedade e se tornaram líderes e referências em suas áreas de atuação.

A simbologia do livro está relacionada aos conceitos e às metáforas que o autor utiliza para explicar a ansiedade e seus efeitos na mente e no corpo. Por exemplo, ele compara a mente humana a um teatro, onde há vários atores (pensamentos) que disputam o palco da consciência. Ele também usa a imagem de uma janela para ilustrar a importância de filtrar os estímulos externos e internos que nos bombardeiam diariamente. Outra simbologia é a do SPA, que remete à ideia de relaxamento e bem-estar, mas que na verdade significa o oposto: uma mente agitada e estressada.

A mensagem principal do livro é que a ansiedade é um problema grave e crescente na sociedade moderna, que pode levar a diversos transtornos psíquicos e físicos, como depressão, pânico, fobias, insônia, gastrite, hipertensão, etc. No entanto, o autor também afirma que a ansiedade pode ser controlada e até mesmo usada a nosso favor, se soubermos como administrar nossos pensamentos e emoções. Para isso, ele propõe uma mudança de hábitos e de atitudes, que envolve desde a alimentação, o sono, o exercício físico, até a meditação, a leitura, o lazer, o autoconhecimento e a espiritualidade.

Os ensinamentos do livro são vários, mas alguns dos principais são:

  • A ansiedade é uma reação natural do organismo diante de situações de perigo, desafio ou incerteza, mas se torna patológica quando é excessiva, frequente e desproporcional à realidade.
  • A ansiedade é causada pela aceleração do pensamento, que é estimulada pelo excesso de informação, de cobrança, de competitividade, de consumo, de tecnologia, etc., que caracterizam a sociedade atual.
  • A ansiedade afeta não só a saúde mental, mas também a física, pois altera o funcionamento do sistema nervoso, endócrino, imunológico e cardiovascular, podendo provocar diversas doenças e até mesmo a morte precoce.
  • A ansiedade pode ser prevenida e tratada com a ajuda de profissionais, de medicamentos, de terapias e de técnicas que visam reduzir a velocidade do pensamento, aumentar a qualidade do foco, desenvolver a inteligência emocional, fortalecer a autoestima, ampliar a criatividade, melhorar o humor, etc.
  • A ansiedade pode ser transformada em um aliado, se soubermos usá-la como um sinal de alerta, um estímulo à ação, um desafio à superação, um convite à reflexão, um incentivo à aprendizagem, um motivo à gratidão, etc.

Augusto Cury é um médico psiquiatra, professor e escritor brasileiro, nascido em Colina, São Paulo, em 1958. Formou-se em Medicina pela Faculdade de São José do Rio Preto e fez doutorado internacional em Psicologia Multifocal pela Florida Christian University. É o autor da Teoria da Inteligência Multifocal e de mais de 40 livros, que foram publicados em mais de 70 países, com mais de 25 milhões de exemplares vendidos somente no Brasil. É considerado o autor brasileiro mais lido da década de 2000, segundo o jornal Folha de São Paulo. Entre seus livros mais famosos, estão: Inteligência Multifocal, Pais Brilhantes, Professores Fascinantes, O Vendedor de Sonhos, O Homem Mais Inteligente da História, entre outros.

A comparação entre o livro Ansiedade: Como Enfrentar o Mal do Século e outros escritos do autor revela que há uma continuidade e uma coerência na sua obra, que aborda temas relacionados à psicologia, à educação, à filosofia, à espiritualidade, à ficção e à autoajuda. O autor utiliza uma linguagem simples, acessível e envolvente, que busca dialogar com o leitor e transmitir seus conhecimentos e suas experiências. O autor também mescla conceitos teóricos, dados científicos, histórias reais, personagens fictícios, exemplos práticos, exercícios e dicas, que tornam a leitura mais dinâmica e interessante. O autor também demonstra uma visão humanista, otimista e esperançosa, que valoriza o potencial humano e a capacidade de superação.

A crítica acerca das informações coletadas é que o livro é uma obra que tem o mérito de trazer à tona um assunto relevante e atual, que afeta a vida de milhões de pessoas no mundo todo. O livro também tem o valor de oferecer uma abordagem multidisciplinar e integrada sobre a ansiedade, que considera os aspectos biológicos, psicológicos, sociais, culturais e espirituais do ser humano. O livro também tem a virtude de propor soluções práticas e eficazes para enfrentar a ansiedade, que podem ser aplicadas no dia a dia, sem a necessidade de grandes investimentos ou recursos. No entanto, o livro também tem algumas limitações e pontos negativos, que devem ser considerados. Por exemplo, o livro pode ser considerado cansativo e repetitivo, pois o autor insiste em alguns conceitos e ideias ao longo dos capítulos, sem acrescentar novidades ou aprofundamentos. O livro também pode ser considerado superficial e simplista, pois o autor não aprofunda as causas e as consequências da ansiedade, nem apresenta evidências científicas ou empíricas que sustentem suas afirmações e suas propostas. O livro também pode ser considerado tendencioso e parcial, pois o autor defende sua própria teoria e seus próprios métodos, sem considerar outras abordagens ou perspectivas sobre a ansiedade. O livro também pode ser considerado polêmico e controverso, pois o autor mistura conceitos de psicologia, de religião, de filosofia, de história, de ficção, de autoajuda, etc., sem fazer uma distinção clara entre eles, podendo gerar confusão ou desacordo entre os leitores. Portanto, o livro é uma obra que deve ser lida com senso crítico, discernimento e cautela, pois não é uma fonte definitiva ou infalível sobre a ansiedade, mas sim uma contribuição pessoal e subjetiva do autor, que pode ser útil ou não, dependendo do perfil e da necessidade de cada leitor.

Postar um comentário

Comentários