[RESENHA #906] A coragem para liderar: Trabalho duro, conversas difíceis, corações plenos, de Brené Brown

Com base em pesquisa realizada com líderes, agentes de mudança e transformadores de cultura, Brené Brown nos mostra como se reerguer, vencer desafios e liderar. Eleito um dos melhores livros de 2019 pela Bloomberg, A coragem para liderar é um fenomeno das redes sociais da mesma autora de A coragem de ser imperfeito. 

Liderança não tem a ver com cargos, status ou poder. Um líder é qualquer pessoa que se responsabiliza por reconhecer o potencial nas pessoas e em suas ideias e tem a iniciativa de desenvolvê-lo.

Quando temos coragem de liderar, não temos a pretensão de ter sempre as respostas certas, mas nos mostramos curiosos e fazemos as perguntas corretas. Não vemos o poder como algo limitado e tentamos concentrá-lo em nossas mãos; sabemos que o poder é ilimitado quando compartilhado. Não evitamos conversas e situações difíceis; recorremos à vulnerabilidade porque sabemos que ela é necessária para alcançar bons resultados.

Mas a liderança corajosa em uma cultura definida pela escassez, pelo medo e pela incerteza requer o desenvolvimento de habilidades que são profunda e exclusivamente humanas. A ironia é que temos escolhido não investir no desenvolvimento do coração e da mente de líderes ao mesmo tempo que tentamos desesperadamente entender o que temos a oferecer. O que podemos fazer que as máquinas e a inteligência artificial não façam mais rápido e melhor? Empatia, conexão e coragem são um bom começo.

A autora de A coragem de ser imperfeito, Brené Brown, dedicou as últimas duas décadas a estudar as emoções e experiências que dão significado a nossa vida e os últimos cinco anos trabalhando com líderes e equipes em todo o mundo. Em A coragem para liderar a autora utiliza pesquisas, histórias e exemplos reais para responder a essas perguntas da maneira direta e sem floreios que milhões de leitores em todo o mundo já conhecem e amam.

RESENHA

O livro A coragem para liderar: Trabalho duro, conversas difíceis, corações plenos, da autora americana Brené Brown, é uma obra que aborda o tema da liderança sob uma perspectiva humana e vulnerável. Publicado em 2018 nos Estados Unidos e em 2019 no Brasil pela editora BestSeller, o livro é baseado em pesquisas realizadas com líderes, agentes de mudança e transformadores de cultura, que mostram como se reerguer, vencer desafios e liderar de forma eficaz e autêntica.

O livro se insere em um contexto histórico, cultural, político e social marcado pela aceleração tecnológica, pela globalização, pela crise ambiental, pela polarização ideológica e pela incerteza quanto ao futuro. Nesse cenário, a autora defende que a liderança não tem a ver com cargos, status ou poder, mas com a capacidade de reconhecer o potencial nas pessoas e nas ideias e desenvolvê-lo. Para isso, é preciso ter coragem de liderar, ou seja, de se expor, de fazer perguntas, de compartilhar o poder, de enfrentar conversas e situações difíceis e de recorrer à vulnerabilidade como fonte de força e conexão.

A autora, Brené Brown, é uma pesquisadora, professora e escritora que se dedica a estudar as emoções e experiências que dão significado à vida humana, como a vulnerabilidade, a coragem, a vergonha e a empatia. Ela é autora de outros livros de sucesso, como A coragem de ser imperfeito, Mais forte do que nunca e A arte da imperfeição. Ela também é conhecida por suas palestras no TED, que já foram assistidas por milhões de pessoas, e por seu podcast Unlocking Us.

O livro é dividido em quatro partes: Parte I - O momento é agora; Parte II - O coração da liderança corajosa; Parte III - Os braços da liderança corajosa; Parte IV - As pernas da liderança corajosa. Em cada parte, a autora apresenta conceitos, exemplos, histórias e ferramentas práticas para ajudar os leitores a desenvolverem as habilidades necessárias para uma liderança corajosa. Alguns dos conceitos abordados são: a armadura da liderança, que são as formas de se proteger do medo, da crítica e do fracasso, mas que também impedem a inovação, a criatividade e a confiança; o círculo de confiança, que é o grupo de pessoas que compartilham os mesmos valores e propósitos e que oferecem apoio, feedback e responsabilização; a clareza de valores, que é a capacidade de identificar e viver de acordo com os princípios que orientam as decisões e as ações; a curiosidade, que é a disposição de aprender, de explorar e de questionar; e a coragem, que é a habilidade de agir com integridade, de assumir riscos e de se recuperar dos erros.

Um dos trechos do livro que ilustra a proposta da autora é o seguinte:

“A liderança corajosa é contagiosa. Quando um líder corajoso diz: ‘Eu não sei a resposta para isso, mas vamos descobrir juntos’, isso se torna um convite para a co-criação e a colaboração. Quando um líder corajoso diz: ‘Eu cometi um erro’, isso se torna uma oportunidade para a aprendizagem e a responsabilidade. Quando um líder corajoso diz: ‘Eu preciso de ajuda’, isso se torna um momento de conexão e confiança.” (p. 41)

A resenha crítica do livro A coragem para liderar: Trabalho duro, conversas difíceis, corações plenos, de Brené Brown, pode ser feita da seguinte forma:

O livro é uma obra inspiradora, provocativa e transformadora, que desafia os leitores a repensarem a forma como lideram e se relacionam no mundo atual. A autora apresenta uma visão holística e humanizada da liderança, que valoriza as emoções, as relações e os propósitos, em contraste com as abordagens tradicionais, que enfatizam os resultados, as competências e as hierarquias. A autora também oferece uma linguagem simples, acessível e envolvente, que combina rigor científico, sensibilidade artística e experiência prática. O livro é repleto de exemplos, histórias e ferramentas que ilustram e aplicam os conceitos propostos, tornando a leitura dinâmica, interessante e útil.

O livro, no entanto, também apresenta alguns pontos que podem ser questionados ou aprofundados. Por exemplo, a autora não explora as diferenças culturais, de gênero, de classe e de raça que podem influenciar a forma como as pessoas lideram e são lideradas. Ela também não aborda as questões estruturais, políticas e econômicas que podem limitar ou dificultar a implementação de uma liderança corajosa em determinados contextos ou organizações. Além disso, a autora não discute as possíveis resistências, críticas ou conflitos que podem surgir quando se propõe uma mudança de paradigma na liderança, nem como lidar com elas.

Em suma, o livro A coragem para liderar: Trabalho duro, conversas difíceis, corações plenos, de Brené Brown, é uma obra que contribui para o debate e para a prática da liderança no século XXI, trazendo uma perspectiva inovadora, humanista e vulnerável. O livro é recomendado para todos que desejam se desenvolver como líderes, como agentes de mudança e como seres humanos.

Postar um comentário

Comentários