[RESENHA #896] Os quatro compromissos: O livro da filosofia Tolteca, de Don Miguel Ruiz

O livro clássico da autoajuda baseado na filosofia tolteca que viralizou nas redes sociais. Os quatro compromissos traz um guia prático para a liberdade pessoal que já transformou a vida de vários famosos como Manu Gavassi, Gisele Bundchen e Juliette Freire.

Os quatro compromissos apresenta a possibilidade de uma nova vida, repleta de energia, felicidade genuína e amor. Sua abordagem tem base no pensamento dos antigos toltecas, povo que habitava a região do atual México. Don Miguel Ruiz acredita que, para conquistar essa nova vida, basta estabelecer e honrar quatro compromissos básicos: seja impecável com sua palavra, não leve nada para o lado pessoal, não tire conclusões e sempre dê o melhor de si.

Em Os quatro compromissos você vai descobrir a fonte de crenças autolimitantes que nos roubam a alegria e criam sofrimentos desnecessários. Baseadas na sabedoria ancestral tolteca, as ideias contidas neste livro explicam de forma esclarecedora como somos influenciados e profundamente modificados de acordo com os padrões exigidos pela sociedade moderna

Don Miguel Ruiz oferece ao leitor um guia sobre hábitos e conceitos simples, que todos conhecemos, mas, infelizmente, deixamos de praticar. Os quatro compromissos consiste em compromissos de fé e de caráter que afastam a tristeza, a insegurança e a dependência, levando-nos à verdadeira liberdade - aquela que vem da alma, que somente nós podemos nos conceder.

Nesta nova edição repaginada de Os quatro compromissos você descobrirá um poderoso código de conduta que pode rapidamente transformar sua vida em uma nova experiência de liberdade verdadeira, felicidade e amor

RESENHA

O livro Os quatro compromissos: O livro da filosofia Tolteca, de Don Miguel Ruiz, é um best-seller de autoajuda que propõe um código de conduta baseado na sabedoria ancestral dos toltecas, um povo que habitou a região do atual México entre os séculos X e XII. O autor, que é descendente de curandeiros toltecas, afirma que as crenças autolimitantes que adquirimos ao longo da vida nos impedem de ser felizes e livres, e que podemos mudar essa realidade ao assumir quatro compromissos simples, mas poderosos:

  • Seja impecável com sua palavra: use a palavra para expressar a verdade e o amor, evitando mentiras, fofocas, críticas e julgamentos que prejudicam a si mesmo e aos outros.
  • Não leve nada para o lado pessoal: não se deixe afetar pela opinião ou pelo comportamento dos outros, pois eles são reflexos de suas próprias crenças e emoções. Não se vitimize nem se culpe pelos acontecimentos, pois você não é responsável pelo que os outros fazem ou pensam.
  • Não tire conclusões: não faça suposições sobre o que os outros querem, sentem ou pensam, pois isso pode gerar mal-entendidos, conflitos e sofrimento. Em vez disso, busque esclarecer as situações, fazer perguntas e ouvir com atenção.
  • Sempre dê o melhor de si: faça o que estiver ao seu alcance em cada momento, sem se cobrar demais nem se acomodar. Ao dar o melhor de si, você evita arrependimentos, frustrações e culpa, e se aproxima de seus objetivos e sonhos.

O livro foi publicado pela primeira vez em 1997, nos Estados Unidos, com o título original The Four Agreements: A Practical Guide to Personal Freedom. Desde então, já vendeu mais de sete milhões de cópias em todo o mundo e foi traduzido para mais de 40 idiomas. No Brasil, a primeira edição foi lançada em 2000, pela editora Best Seller, e a mais recente, em 2021, com uma nova capa e um prefácio do autor. O livro também ganhou uma continuação, chamada O quinto compromisso, que aborda o tema da dúvida e da verdade.

O livro se insere em um contexto de crescente interesse pela espiritualidade, pelo autoconhecimento e pelo desenvolvimento pessoal, que se intensificou nas últimas décadas, em meio às transformações sociais, culturais, políticas e tecnológicas que marcaram o final do século XX e o início do século XXI. O autor busca resgatar a sabedoria dos antigos toltecas, que ele considera como “os cientistas e artistas da alma”, e adaptá-la aos desafios da vida moderna, mostrando como podemos superar as ilusões e os medos que nos aprisionam e nos impedem de ser quem realmente somos.

O livro é dividido em cinco capítulos, que explicam cada um dos quatro compromissos e sua aplicação prática, além de uma introdução, que apresenta o conceito de “sonho do planeta”, que seria a realidade coletiva construída pelas crenças e acordos que assumimos desde a infância, e que nos condicionam a agir e a pensar de determinada forma. O autor usa uma linguagem simples, direta e envolvente, recorrendo a exemplos, metáforas, histórias e citações para ilustrar seus pontos. O livro também contém alguns exercícios e reflexões que convidam o leitor a colocar em prática os ensinamentos propostos.

A resenha crítica do livro Os quatro compromissos: O livro da filosofia Tolteca, de Don Miguel Ruiz, pode ser feita a partir de diferentes perspectivas e critérios, dependendo do objetivo e do público-alvo da análise. No entanto, de forma geral, pode-se dizer que o livro é uma obra que oferece uma visão otimista e inspiradora sobre a possibilidade de mudança e de crescimento pessoal, a partir de princípios simples, mas profundos, que podem ser aplicados por qualquer pessoa, independentemente de sua origem, cultura, religião ou situação. O livro também tem o mérito de resgatar e divulgar a cultura e a filosofia dos toltecas, que são pouco conhecidas e valorizadas no mundo ocidental, e que podem contribuir para uma maior diversidade e riqueza de pensamento e de expressão.

Por outro lado, o livro também pode ser criticado por alguns aspectos, como a falta de embasamento científico ou histórico para algumas de suas afirmações, a simplificação ou a generalização de alguns conceitos ou situações, a repetição ou a redundância de algumas ideias ou argumentos, e a ausência de uma abordagem mais crítica ou reflexiva sobre as implicações e os limites dos quatro compromissos, que podem variar de acordo com o contexto e as circunstâncias de cada indivíduo ou grupo. Além disso, o livro pode ser visto como uma obra que se insere em um mercado editorial lucrativo e competitivo, que explora a demanda por soluções rápidas e fáceis para os problemas e os anseios das pessoas, e que pode gerar expectativas irreais ou frustrações nos leitores.

Assim, o livro Os quatro compromissos: O livro da filosofia Tolteca, de Don Miguel Ruiz, pode ser considerado como uma obra que tem seus pontos positivos e negativos, e que pode ser lida com interesse, mas também com senso crítico e discernimento, buscando extrair o que há de melhor e de mais útil em seus ensinamentos, mas também reconhecendo suas limitações e seus desafios. O livro pode ser uma fonte de inspiração e de motivação para quem busca uma vida mais plena, feliz e livre, mas não deve ser tomado como uma verdade absoluta ou uma receita infalível, pois cada pessoa tem sua própria história, sua própria realidade e seu próprio caminho.

Postar um comentário

Comentários