[RESENHA #863] Todos os contos, de Clarice Lispector

Dona de uma obra que cruza fronteiras geográficas e de gênero, Clarice Lispector é considerada atualmente uma das mais importantes escritoras do século XX. Nesta coletânea, que reúne pela primeira vez todos os contos da autora num único volume, organizada pelo biógrafo Benjamin Moser, é possível conhecer Clarice por inteiro, desde os primeiros escritos, ainda na adolescência, até as últimas linhas. Essencial para estudantes e pesquisadores, para fãs de Clarice Lispector e iniciantes na obra da escritora, Todos os contos foi lançado nos Estados Unidos em 2015, figurando na lista de livros mais importantes do ano do jornal The New York Times e colecionando importantes prêmios. Agora é a vez de os leitores brasileiros (re)descobrirem por completo esta contista prolífica e singular e seu planeta habitado por bichos, homens e sobretudo mulheres, que se revelam, nas mãos de Clarice, maravilhosos em meio à alegria e ao horror da existência.

RESENHA

A todos os contos é uma obra que reúne pela primeira vez todos os contos escritos por Clarice Lispector, uma das mais importantes escritoras brasileiras do século XX. Organizada pelo biógrafo Benjamin Moser, a coletânea apresenta 85 contos, desde os primeiros escritos na adolescência até as últimas linhas, em ordem cronológica. A obra permite conhecer a evolução da escrita de Clarice, marcada pela profundidade psicológica, pela linguagem poética e pela busca da essência humana.

A obra foi lançada no Brasil em 2016, pela Editora Rocco, após ter sido publicada nos Estados Unidos em 2015, pela New Directions, com tradução de Katrina Dodson. A edição norte-americana recebeu o prêmio Pen Translation Prize e foi incluída na lista dos melhores livros do ano do jornal The New York Times. A edição brasileira conta com um prefácio de Moser, intitulado “Glamour e gramática”, no qual ele explica as dificuldades e os critérios para selecionar e organizar os contos de Clarice.

Os contos de Clarice refletem o contexto histórico e cultural em que foram escritos, desde os anos 1940 até os anos 1970, abordando temas como a Segunda Guerra Mundial, a ditadura militar, a construção de Brasília, a emancipação feminina, a violência urbana, entre outros. No entanto, o foco principal da autora não é o retrato social, mas sim a exploração das dimensões mais íntimas e misteriosas dos seus personagens, que muitas vezes se encontram em situações de crise, de angústia, de revelação ou de epifania. Clarice utiliza uma linguagem que rompe com as convenções narrativas tradicionais, misturando prosa e poesia, realidade e fantasia, razão e intuição.

Alguns dos contos mais famosos de Clarice são: “Amor”, “A menor mulher do mundo”, “Feliz aniversário”, “A legião estrangeira”, “O ovo e a galinha”, “Onde estivestes de noite”, “A quinta história”, “Uma galinha”, “Viagem a Petrópolis”, “O búfalo”, “O primeiro beijo”, “A mensagem”, “Uma esperança”, “Perdoando Deus”, “A bela e a fera” e “Restos do carnaval”. Esses e outros contos revelam a genialidade e a originalidade de Clarice, que soube criar histórias que tocam o leitor pela sua força expressiva, pela sua sensibilidade e pela sua capacidade de iluminar aspectos obscuros da existência humana.

Clarice Lispector nasceu em 1920, na Ucrânia, em uma família judia que fugiu da perseguição aos judeus durante a Guerra Civil Russa. Chegou ao Brasil com dois meses de idade, fixando-se inicialmente em Maceió e depois no Recife, onde passou sua infância. Aos 14 anos, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro, onde estudou Direito e iniciou sua carreira literária. Em 1943, casou-se com o diplomata Maury Gurgel Valente, com quem teve dois filhos e viajou para vários países, como Itália, Suíça, Inglaterra e Estados Unidos. Em 1959, separou-se do marido e voltou ao Rio de Janeiro, onde continuou escrevendo e publicando romances, contos, crônicas e livros infantis. Em 1966, sofreu um grave acidente doméstico, que lhe deixou sequelas físicas e emocionais. Em 1977, morreu de câncer de ovário, um dia antes de completar 57 anos.

Clarice Lispector é considerada uma das maiores escritoras da literatura brasileira e mundial, tendo recebido diversos prêmios e homenagens, como o Prêmio Graça Aranha, o Prêmio Jabuti, o Prêmio da Fundação Cultural do Distrito Federal, o Prêmio Pen Translation Prize, entre outros. Sua obra tem sido traduzida para vários idiomas e estudada por críticos e pesquisadores de todo o mundo. Sua influência se estende também à música, ao cinema, ao teatro, às artes plásticas e à cultura popular. Clarice Lispector é uma escritora que desafia os leitores a se aventurarem pelos labirintos da linguagem e da alma, oferecendo-lhes uma experiência literária única e inesquecível.

Postar um comentário

Comentários