[RESENHA #853] Como nascem as estrelas: doze lendas brasileiras, de Clarice Lispector



RESENHA

Como nasceram as estrelas é um livro de literatura infantil que reúne doze lendas brasileiras recontadas pela escritora Clarice Lispector. Cada lenda corresponde a um mês do ano e traz elementos da cultura e da natureza do nosso país, como animais, plantas, rios, índios, festas e mitos. O livro foi publicado pela primeira vez em 1977, ano da morte da autora, e ilustrado por Suryara Bernardi

Clarice Lispector é considerada uma das maiores escritoras brasileiras do século XX, pertencente à terceira geração modernista. Nascida na Ucrânia, em 1920, veio para o Brasil com a família quando tinha apenas dois meses de idade. Viveu em várias cidades do Nordeste e do Sudeste, e também no exterior, devido ao casamento com um diplomata. Escreveu romances, contos, crônicas, ensaios e livros infantis, marcados por uma linguagem poética, introspectiva e inovadora

O estilo de Clarice Lispector se faz presente nas lendas que ela reescreve, dando-lhes um tom de encantamento, mistério e humor. As histórias são narradas em terceira pessoa, com um narrador onisciente que conhece os pensamentos e sentimentos dos personagens. Os personagens são, em sua maioria, crianças, animais e seres fantásticos, que vivem aventuras e desafios em um cenário natural e mágico. As lendas ensinam valores como a amizade, a coragem, a solidariedade, a curiosidade, a criatividade e o respeito à diversidade.

Algumas citações do livro que ilustram o estilo da autora são:

  • “Era uma vez uma aldeia de índios que vivia numa grande fome. Não havia mais nada para comer. Nem raízes, nem frutas, nem caça. Os índios estavam magros e tristes.” (Como nasceram as estrelas, p. 9)
  • “O jacaré era um bicho muito vaidoso. Ele gostava de se admirar nas águas do rio, de ver como seus dentes eram brancos e afiados, como sua pele era verde e lustrosa, como seu rabo era comprido e forte.” (O jacaré que virou bolsa, p. 25)
  • “O menino era muito curioso. Ele queria saber tudo sobre o mundo. Por que o céu era azul? Por que a lua mudava de forma? Por que as estrelas piscavam? Por que o sol nascia e se punha?” (O menino que virou sol, p. 41)
  • “A onça era a rainha da floresta. Ela mandava em todos os animais e fazia o que bem queria. Ela era forte, valente e orgulhosa. Mas ela tinha um defeito: era muito vingativa.” (A onça e o bode, p. 57)

O livro como nasceram as estrelas é uma obra que valoriza a cultura e a identidade brasileiras, ao resgatar lendas que fazem parte do nosso folclore e da nossa memória coletiva. Ao mesmo tempo, é uma obra que revela a sensibilidade e a imaginação de Clarice Lispector, que soube recriar as histórias com sua linguagem única e envolvente. É um livro que encanta e diverte leitores de todas as idades, que podem aprender e sonhar com as histórias que a autora nos conta.

Postar um comentário

Comentários