[RESENHA #833] O mistério Sittaford, de Agatha Christie


Na remota localidade de Sittaford, prestes a ser assolada por uma poderosa tempestade de neve, um grupo de vizinhos reunidos na imponente mansão que dá nome ao lugar resolve se entregar a um passatempo excitante e aparentemente inofensivo: uma sessão espírita improvisada. O que deveria ser uma distração sem maiores consequências assume tons sombrios quando a mesa dos espíritos soletra o nome de um conhecido de todos os presentes, seguido da palavra "assassinado". Trote de mau gosto ou um aviso sobrenatural? Em mais um de seus engenhosos romances, Agatha Christie surpreende os leitores com a narrativa misteriosa de um crime que teoricamente não poderia ser cometido.

RESENHA

O livro O Mistério de Sittaford, de Agatha Christie, é um romance policial que se passa em uma pequena vila da Inglaterra, onde um assassinato é anunciado por uma sessão espírita. A obra é um exemplo do estilo da autora, que cria uma trama cheia de reviravoltas, pistas falsas e personagens suspeitos, desafiando o leitor a desvendar o mistério junto com os detetives.

Os principais personagens são Emily Trefusis, uma jovem determinada e inteligente que tenta provar a inocência de seu noivo Jim Pearson, acusado de matar seu tio Joseph Trevelyan, o dono da mansão Sittaford; Charles Enderby, um jornalista curioso e sagaz que se alia a Emily na investigação; o inspetor Narracott, um policial competente e honesto que conduz o inquérito oficial; e as senhoras Willett, mãe e filha que alugam a mansão Sittaford e organizam a sessão espírita que revela o crime.

O livro ensina que nem tudo é o que parece, e que é preciso ter raciocínio lógico, observação atenta e senso crítico para solucionar um enigma. Também mostra que o amor, a amizade e a lealdade são valores importantes que podem ajudar a superar as dificuldades. Além disso, o livro retrata o contexto histórico da Inglaterra na década de 1930, marcado pela crise econômica, pela ascensão do fascismo e pela iminência de uma nova guerra mundial.

Algumas citações marcantes do livro são:

  • “Não há nada como um bom mistério para animar as pessoas. É o melhor remédio para a depressão.” (Charles Enderby, capítulo 2)
  • “Não se pode confiar em ninguém neste mundo. Todo mundo tem um motivo para matar alguém.” (Emily Trefusis, capítulo 4)
  • “O que você precisa é de um pouco de imaginação. A imaginação é a mãe da intuição.” (Mrs. Willett, capítulo 6)
  • “Não há nada mais perigoso do que uma mulher bonita com uma mente criminosa.” (Inspetor Narracott, capítulo 15)

O livro não apresenta uma simbologia explícita, mas pode-se interpretar que a neve que cobre a vila de Sittaford representa o isolamento, o frio e o mistério que envolvem o caso. A sessão espírita pode ser vista como uma forma de comunicação entre o mundo dos vivos e dos mortos, mas também como uma armadilha para enganar os incautos. A mansão Sittaford pode simbolizar o poder, a riqueza e o segredo que motivam o crime.

O livro tem uma grande importância e relevância cultural, pois é uma das obras mais famosas de Agatha Christie, considerada a rainha do romance policial e uma das escritoras mais lidas de todos os tempos. O livro foi adaptado para o cinema, para a televisão e para o teatro, e inspirou outros autores do gênero. O livro também é um reflexo da sociedade inglesa da época, com suas classes sociais, seus costumes e seus conflitos.

Agatha Christie (1890-1976) foi uma escritora britânica que se destacou por seus romances policiais e de suspense. Ela criou personagens icônicos como Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence, entre outros. Ela publicou mais de 80 livros, além de contos, peças de teatro e poemas. Ela recebeu diversos prêmios e honrarias, e foi nomeada Dama do Império Britânico em 1971. Ela morreu de causas naturais aos 85 anos, deixando um legado literário incomparável.

O livro O Mistério de Sittaford é uma leitura recomendada para os fãs de Agatha Christie e para os apreciadores de um bom mistério. A obra é envolvente, intrigante e divertida, e mantém o leitor interessado até o final. A autora demonstra sua habilidade em criar uma história bem elaborada, com personagens carismáticos e um desfecho surpreendente. O livro é uma prova da genialidade de Agatha Christie, e um clássico da literatura policial.

Postar um comentário

Comentários