[RESENHA #832] Sócios no crime, de Agatha Christie

Para quem está acostumado com Hercule Poirot e Miss Marple pode ser um choque conhecer a dupla Tommy e Tuppence. No segundo livro como protagonistas, este casal de ex-detetives tenta se adaptar à vida fora da ativa. Tommy tem um trabalho administrativo junto ao Serviço Secreto Britânico, enquanto Tuppence cuida da casa. Mas essa vida pacata parece estar com os dias contados quando o chefe da Inteligência Britânica lhes propõe recolocar em operação a Agência de Detetives Internacional.

RESENHA

Sócios no Crime é um livro de contos da famosa escritora britânica Agatha Christie, considerada a rainha do romance policial. Publicado em 1929, o livro traz de volta os personagens Tommy e Tuppence Beresford, um casal de detetives amadores que já havia aparecido em outro livro da autora, O Inimigo Secreto. Neste livro, eles são recrutados pelo Serviço Secreto Britânico para assumir a fachada de uma agência de detetives e desmascarar um espião conhecido como nº 16. Enquanto esperam pelo contato do inimigo, eles se envolvem em vários casos de mistério, usando como inspiração os métodos de famosos detetives da literatura, como Sherlock Holmes, padre Brown e Hercule Poirot.

O livro é composto por quinze contos, cada um com um caso diferente e uma solução surpreendente. Os contos são divertidos, inteligentes e cheios de referências literárias, mostrando o conhecimento e a admiração de Agatha Christie pelos seus colegas de gênero. Alguns dos contos são paródias de histórias famosas, como O Caso da Dama Desaparecida, que imita O Caso da Dama de Bronze, de Arthur Conan Doyle, ou O Álibi Perfeito, que brinca com o estilo de G.K. Chesterton. Outros são homenagens a personagens icônicos, como Fazendo uma Finesse de Rei, que traz uma aparição especial de Hercule Poirot, o mais famoso detetive de Agatha Christie.

Os protagonistas, Tommy e Tuppence, são um casal carismático, dinâmico e bem-humorado, que contrasta com os detetives mais sérios e solitários da literatura policial. Eles se complementam e se apoiam nas suas aventuras, demonstrando uma grande cumplicidade e amor. Eles também são muito criativos e ousados, assumindo diferentes personalidades e disfarces para resolver os casos. Eles representam o espírito da época em que o livro foi escrito, o período entre guerras, marcado por mudanças sociais, políticas e culturais.

O livro é uma obra que mistura humor, suspense e literatura, mostrando a versatilidade e a genialidade de Agatha Christie. É uma leitura que agrada tanto aos fãs de romance policial quanto aos amantes de literatura em geral, pois oferece uma viagem pelo universo dos detetives fictícios, com muitas referências, citações e homenagens. Algumas das frases mais marcantes do livro são:

  • "Não há nada como um bom mistério para animar a vida." (Tommy, no conto Uma Fada no Apartamento)
  • "Não há nada que eu goste mais do que um bom mistério. A vida é tão monótona sem eles." (Tuppence, no conto O Caso da Pérola Rosa)
  • "Não há nada como um pouco de imaginação para tornar a vida mais interessante." (Tommy, no conto A Aventura do Desconhecido Sinistro)
  • "Não há nada como um pouco de realidade para tornar a vida mais segura." (Tuppence, no conto A Aventura do Desconhecido Sinistro)

Agatha Christie foi uma das escritoras mais populares e influentes do século XX, tendo publicado mais de oitenta livros, entre romances, contos e peças de teatro. Ela nasceu em 1890, na Inglaterra, e começou a escrever histórias de mistério por influência da sua mãe e da sua irmã. Ela criou personagens memoráveis, como Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence, entre outros. Ela também foi uma mulher à frente do seu tempo, viajando pelo mundo, trabalhando como enfermeira na Primeira Guerra Mundial e como farmacêutica na Segunda Guerra Mundial, e se casando duas vezes. Ela morreu em 1976, aos 85 anos, deixando um legado de obras que continuam a encantar gerações de leitores.

Sócios no Crime é um livro que merece ser lido e relido, pois é uma obra que celebra a literatura policial e a arte de contar histórias. É um livro que diverte, emociona e surpreende, com casos intrigantes, personagens cativantes e soluções geniais. É um livro que prova que Agatha Christie é, sem dúvida, a rainha do romance policial.

Postar um comentário

Comentários