[RESENHA #809] Mensagem, de Fernando Pessoa


Mensagem foi o único livro de poemas em português publicado durante a vida de Fernando Pessoa (1888-1935) e inclui algumas das poesias mais intrigantes de sua autoria. Foi lançado em dezembro de 1934, a menos de um ano da morte do poeta, e seus poemas foram redigidos entre julho 1913 e março de 1934. Antes de qualquer coisa, Mensagem é uma homenagem do maior poeta moderno em língua portuguesa à sua pátria. Nele, Pessoa revê a história do seu país, passando pelo período da mitológica fundação de Lisboa por Ulisses, pela época das navegações, os diversos monarcas e figuras da corte, pelo mito do Sebastianismo e do Quinto Império, e urge Portugal a ir de encontro ao glorioso futuro que, segundo ele, lhe estava reservado. Recheado por símbolos e signos místicos e esotéricos – até mesmo na sua estrutura, que respeita os números importantes para o esoterismo –, Mensagem revisita a forma épica, dando-lhe contornos e tratamentos especiais (a estrutura dos versos, por exemplo, é completamente modernista) e revela uma visão de mundo muito particular do próprio poeta, sendo o mar um dos personagens principais. Mensagem faz parte do projeto de publicação da obra de Fernando Pessoa pela L&PM Editores, com organização, notas e introdução de Jane Tutikian. Jane Tutikian é doutora em Literatura Portuguesa e professora do departamento de Literatura de Línguas Portuguesa e Africana do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, além de autora de A rua dos secretos amores (WS, 2003), entre outros. Confira um trecho de "Mar português" Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu.

RESENHA

Mensagem é um livro de poemas do escritor português Fernando Pessoa, publicado em 1934. É considerada uma obra do modernismo de Portugal, mas também possui elementos clássicos e simbólicos. A principal característica de Mensagem é o seu caráter nacionalista, que exalta o passado glorioso e o futuro místico de Portugal.

O livro é dividido em três partes: Brasão, Mar Português e O Encoberto. Cada parte corresponde a uma etapa da história portuguesa: a formação, a expansão e a decadência. A estrutura do livro segue o modelo do brasão de armas de Portugal, que contém os símbolos dos principais heróis e episódios da nação.

Na primeira parte, Brasão, o autor apresenta os personagens históricos que contribuíram para a fundação e consolidação de Portugal, desde Viriato, o líder lusitano que resistiu à invasão romana, até D. João II, o rei que preparou o caminho para as grandes navegações. Nessa parte, o autor também faz referência ao mito de Ulisses, que teria fundado Lisboa, e ao mito do Graal, que seria o destino espiritual de Portugal.

Na segunda parte, Mar Português, o autor celebra as conquistas marítimas que levaram Portugal a ser um império mundial nos séculos XV e XVI. O autor destaca a coragem e a ousadia dos navegadores portugueses, que enfrentaram o desconhecido e o perigo em busca de novas terras e riquezas. Nessa parte, o autor também expressa a nostalgia e a melancolia pelo tempo perdido e pela grandeza que se esvaiu.

Na terceira parte, O Encoberto, o autor apresenta a sua visão profética e messiânica sobre o futuro de Portugal. O autor recorre ao mito de D. Sebastião, o rei que morreu na batalha de Alcácer-Quibir, em 1578, e que se tornou uma esperança de restauração nacional. O autor também cria os personagens do Quinto Império, o Império do Espírito Santo, que seria o destino final de Portugal, e do Encoberto, o herói que viria para realizar esse destino.

Mensagem é uma obra que revela o estilo e a personalidade de Fernando Pessoa, um dos maiores poetas da língua portuguesa. O autor demonstra a sua capacidade de criar diferentes vozes e ritmos poéticos, que variam do clássico ao moderno, do épico ao lírico, do real ao fantástico. O autor também mostra a sua sensibilidade e a sua inteligência, que o levam a refletir sobre aspectos da vida, da história, da cultura e da identidade portuguesa.

Algumas citações marcantes da obra são:

  • “Tudo vale a pena / Se a alma não é pequena.” (Mar Português)
  • “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.” (Mar Português)
  • “Ó mar salgado, quanto do teu sal / São lágrimas de Portugal!” (Mar Português)
  • “Dorme, enquanto eu velo… / Deixa-me sonhar… / Nada em mim é risonho. / Quero-te para sonho, / Não para te amar.” (O Encoberto)
  • “Fernando Pessoa, cais de partida / Para a quimera que em nós se dilata.” (O Encoberto)

A obra Mensagem tem uma grande importância e relevância cultural, pois representa uma síntese da história e da alma portuguesa, que se manifesta através da poesia. A obra também é um testemunho da genialidade e da originalidade de Fernando Pessoa, que soube criar uma obra única e universal, que transcende o tempo e o espaço.

Fernando Pessoa nasceu em Lisboa, em 1888, e morreu na mesma cidade, em 1935. Foi um poeta, escritor, tradutor, filósofo, astrólogo e publicitário. É considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa e um dos mais importantes da literatura mundial. Ficou famoso por criar vários heterônimos, que são personalidades poéticas distintas, com estilos e biografias próprios. Alguns dos seus heterônimos mais conhecidos são Alberto Caeiro, Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Bernardo Soares.

A obra Mensagem é uma leitura obrigatória para quem quer conhecer a poesia e a cultura portuguesa. É uma obra que desafia e encanta o leitor, que se depara com uma linguagem rica e variada, com imagens e símbolos que remetem a diferentes épocas e tradições, com ideias e sentimentos que expressam a grandeza e a angústia de um povo. É uma obra que merece ser lida e relida, pois sempre oferece novas descobertas e emoções.

Postar um comentário

Comentários