[RESENHA #806] Noites do sertão, de Guimarães Rosa


Noites do sertão é um livro de João Guimarães Rosa, um dos maiores escritores brasileiros do século XX, que reúne duas novelas: "Dão-Lalalão" e "Buriti". Ambas as histórias se passam no sertão mineiro, cenário recorrente na obra de Rosa, e exploram os conflitos humanos, as paixões, os costumes e a linguagem regional.

O estilo de Rosa é marcado pela inovação, pela experimentação e pela criação de neologismos, metáforas e jogos de palavras. O autor utiliza recursos como o narrador onisciente, o discurso indireto livre, o fluxo de consciência e o monólogo interior para dar voz aos personagens e revelar seus sentimentos mais profundos. A linguagem de Rosa é rica em musicalidade, ritmo e poesia, e reflete a diversidade e a beleza do sertão.

Em "Dão-Lalalão", o protagonista é Soropita, um homem simples e trabalhador, que se apaixona por Doralda, uma prostituta da cidade. Ele decide se casar com ela e levá-la para sua fazenda, mas enfrenta a resistência de sua família e de sua antiga amante, a viúva Nhinhinha. A novela mostra o conflito entre o amor e o preconceito, entre a cidade e o campo, entre o sagrado e o profano. Uma das passagens mais marcantes é o diálogo entre Soropita e Doralda, em que ele lhe pede que seja sua esposa:

"- Doralda, você quer ser minha mulher?

- Quero, sim, Soropita. Mas você sabe que eu sou uma mulher perdida...

- Não é não. Você é uma mulher achada. Achada por mim."

Em "Buriti", o foco é na família de Zé Bebelo, um fazendeiro poderoso e respeitado, que tem três filhos: Miguilim, Dito e Liovaldo. A novela narra as aventuras e desventuras dos irmãos, que vivem cercados de mistérios, lendas e superstições. A novela também aborda temas como a morte, a religião, a violência e a sexualidade. Um dos momentos mais emblemáticos é a cena em que Miguilim, o filho mais velho, descobre que é cego e que precisa usar óculos:

"- Miguilim, você não está vendo?

- Não estou vendo nada...

- Coitado... Você é cego, Miguilim.

- Cego?! Mas eu vejo tudo!

- Não, Miguilim. Você só vê sombras. Você precisa de óculos."

As duas novelas de Noites do sertão são obras-primas da literatura brasileira, que revelam a genialidade e a sensibilidade de Guimarães Rosa. O autor consegue retratar o universo sertanejo com maestria, criando personagens inesquecíveis, que nos ensinam sobre a vida, o amor, a morte e a esperança. Noites do sertão é um livro que merece ser lido e relido, pois a cada leitura se descobre novos sentidos e novas emoções.

Postar um comentário

Comentários