[RESENHA #788] Noite sem fim, de Agatha Christie

Quando Michael encontra Ellie durante uma visita ao Passo do Cigano, é amor à primeira vista. Apaixonados, os dois decidem começar uma vida juntos comprando a propriedade abandonada. No entanto, o casal ignora o aviso de uma estranha senhora sobre a maldição que assola o local… e apesar de não acreditarem em seus augúrios, o mal começa a assombrá-los. Logo, o rapaz descobre que, no Passo do Cigano, muitos acidentes inexplicáveis acontecem. Mas quem ― ou o quê ― está por trás dessas desgraças?

RESENHA

Noite sem fim é um romance policial de Agatha Christie, publicado em 1967. A autora considerava-o uma de suas melhores obras e a crítica, a sua última obra-prima. O livro se diferencia dos demais romances da autora por não contar com a presença de nenhum detetive profissional ou amador, mas sim com a narração em primeira pessoa do protagonista, Michael Rogers, um jovem aventureiro que se apaixona por uma herdeira milionária, Ellie Guteman, e se casa com ela às escondidas de sua família. O casal decide construir uma casa no Campo do Cigano, um lugar misterioso e supostamente amaldiçoado, onde Mike e Ellie se conheceram e se sentiram atraídos. A partir daí, uma série de acontecimentos estranhos e trágicos começa a assombrar a vida dos dois, culminando em um final surpreendente e chocante.

O estilo de Agatha Christie neste livro é envolvente, poético e sombrio, criando uma atmosfera de suspense e tensão que prende o leitor do início ao fim. A autora usa diversas referências literárias, como o poema "Auguries of Innocence", de William Blake, que é citado várias vezes ao longo da história e dá o tom da trama. Um dos versos do poema, "Some are born to sweet delight / Some are born to endless night" ("Alguns nascem para a doce alegria / Alguns nascem para a noite sem fim"), é especialmente significativo para o desfecho da obra. Outra referência é o conto "A Bela e a Fera", de Jeanne-Marie Leprince de Beaumont, que é mencionado por Ellie como uma de suas histórias favoritas e que também tem uma relação simbólica com o enredo.

Os principais personagens do livro são Mike e Ellie, o casal protagonista, que vivem uma história de amor intensa e trágica. Mike é um jovem impulsivo, irresponsável e sedento de aventuras, que se sente atraído pelo Campo do Cigano e por Ellie, uma mulher rica, inocente e generosa, que deseja escapar das amarras de sua família e viver uma vida simples e feliz ao lado de Mike. Outros personagens importantes são Greta Andersen, a melhor amiga e acompanhante de Ellie, que a ajuda a se casar com Mike e a se livrar da influência de sua família; Rudolf Santonix, o arquiteto genial e excêntrico, que constrói a casa dos sonhos para o casal no Campo do Cigano; Esther Lee, a velha cigana que faz profecias sinistras para Ellie e que tenta afastá-la do lugar maldito; e Claudia Hardcastle, a vizinha simpática e curiosa, que se torna amiga de Ellie e que tem um papel crucial na trama.

O livro traz alguns ensinamentos para o leitor, como a importância de se conhecer a si mesmo e aos outros, de se ter cuidado com as aparências e as ilusões, de se respeitar as tradições e os mistérios da natureza, e de se enfrentar as consequências de seus atos. O livro também mostra como o amor pode ser uma força poderosa, mas também perigosa, que pode levar à felicidade ou à destruição.

Algumas citações marcantes do livro são:

- "Eu queria viver. Eu queria amar. Eu queria ser feliz." (Mike, p. 9)

- "Eu não quero ser rica. Eu quero ser feliz. Eu quero ser como todo mundo." (Ellie, p. 35)

- "O Campo do Cigano é um lugar mágico. Ele atrai as pessoas. Ele as faz querer ficar aqui. Mas ele não gosta delas. Ele as odeia. Ele as mata." (Esther Lee, p. 51)

- "Algumas pessoas nascem para a doce alegria. Algumas pessoas nascem para a noite sem fim." (Blake, p. 69)

- "A vida é uma coisa estranha. Nós pensamos que sabemos o que queremos. Nós pensamos que sabemos o que nos faz felizes. Mas às vezes nós estamos errados. Terrivelmente errados." (Santonix, p. 123)


O período histórico em que o livro se passa é o final dos anos 1960, uma época de mudanças sociais, culturais e tecnológicas, que influenciaram a vida das pessoas e também a obra de Agatha Christie. A autora, que já tinha mais de 70 anos na época, demonstra em seu livro uma visão crítica e irônica sobre alguns aspectos da modernidade, como o consumismo, a alienação, a violência, a perda de valores e a degradação ambiental¹²³. Por outro lado, ela também mostra uma certa admiração e curiosidade pelas novidades, como a arquitetura, a arte, a música, a moda e a psicologia, que são incorporadas à sua narrativa de forma criativa e original.

A biografia de Agatha Christie é bem conhecida pelos leitores e admiradores de sua obra. Ela nasceu em 1890, em Torquay, na Inglaterra, e começou a escrever histórias de mistério aos 18 anos, inspirada por sua mãe e por seu irmão. Ela se casou duas vezes, teve uma filha, viajou pelo mundo, trabalhou como enfermeira e farmacêutica, e se tornou a escritora mais famosa e vendida da história, com mais de 80 livros publicados, além de peças de teatro, contos e poemas. Ela criou personagens memoráveis, como os detetives Hercule Poirot e Miss Marple, e revolucionou o gênero policial com suas tramas inteligentes e surpreendentes. Ela morreu em 1976, aos 85 anos, deixando um legado incomparável para a literatura.

Noite sem fim é uma obra de grande importância e relevância cultural, pois representa uma das últimas e melhores criações de Agatha Christie, uma das maiores escritoras do século XX. O livro é considerado um clássico do gênero policial, mas também transcende os limites do gênero, abordando temas universais, como o amor, a morte, o destino, a culpa, a loucura e o mal. O livro é admirado por leitores e críticos de todo o mundo, e já foi adaptado para o cinema, o teatro e a televisão, com diferentes interpretações e resultados.

Noite sem fim é um livro fascinante, que prende o leitor do início ao fim, com uma história de amor e mistério, que se revela uma obra-prima da literatura policial. Agatha Christie mostra toda a sua genialidade e criatividade, construindo uma trama complexa e engenhosa, que surpreende e choca o leitor com um final inesperado e impactante. O livro é uma prova da versatilidade e da originalidade da autora, que soube se reinventar e se adaptar aos novos tempos, sem perder a sua essência e o seu talento. Noite sem fim é um livro que merece ser lido e relido, pois a cada leitura se descobre novos detalhes e significados, que enriquecem e ampliam a experiência literária. É um livro que não se esquece jamais.

Postar um comentário

Comentários