RESENHA: Vivendo a Comunicação Não Violenta, por Marshall Rosenberg

A Comunicação Não Violenta (CNV) é um dos temas mais transformadores e fundamentais que nós da Sextante já publicamos. Ela é tão essencial que deveria ser ensinada a todas as pessoas, assim como ler, escrever e fazer as quatro operações matemáticas. Mais do que uma técnica para resolver conflitos, é um modo de ser, de pensar e de viver que, como diz Marshall Rosenberg, “nos ensina a expressar o que está vivo em nós e a enxergar o que está vivo nos outros. Assim podemos descobrir o que fazer para enriquecer essa vida.

Um manual prático sobre como ouvir, ao invés de socar a cara daqueles que nos contrariam. Eu poderia dizer que este livro foi escritor por Jesus, o maior dos pacificadores existentes. Ok, a obra é mediana, não há nenhuma novidade e iremos falar um pouco sobre a escrita de Rosenberg.

Ninguém escuta e ninguém, e ninguém se dobra diante de ninguém, as pessoas não gostam da ideia de se manterem em planos de fundo, a grande maioria gosta de estar por cima, e quase nunca – quase – aceitam opiniões, críticas ou comentários acerca de sua vida ou conquistas. Estes ideais difundem-se entre minha vontade e sua percepção acerca de minhas ações, estas percepções, quando colocadas sobre a mesa, trazem até mim a insatisfação de ter obtivo nada além do óbvio e trivial, e isso somado às minhas expectativas resultam em uma reação não muito boa, deixando tudo ao meu redor completamente suscetível à um comportamento violento, afinal, o que importa são minhas reais conquistas e suas opiniões sobre as caminhos que tracei pouco me importam. Então, podemos dizer que este livro é uma forma de aprendermos com situações, pessoas e ações a nos comportar de forma mais “madura” diante do outro.

O autor trabalha a ideia de ação dentro de três pontos: falar de forma não violenta, ouvir e saber dosar suas reações dentre a existência destas duas linhas. O livro é uma proposta de performance do indivíduo dentro das relações do cotidiano. Como assim? Rosenberg é psicólogo clínico especializado em casais e brigas, o que lhe rendeu este livro. Seu conhecimento acerca das relações é algo muito superficial e não pode ser aplicado a qualquer um, muito pelo contrário, o ponto de vista exposto pelo autor nos dá ideia e brechas para agirmos segundo nosso instinto do que está claro e correto ou não.

O interessante em tudo isso é que o autor cita como exemplo suas experiências como workshop, apresentações e consultório. Dicas de como comportar-se de forma não violenta com a mãe, com os filhos, com o trabalho e consigo mesmo.  Este é o primeiro livro que li onde o autor cita exemplos pessoais e no qual não me prende em ponto algum, mas ainda assim consegui finalizar a leitura na esperança de que ele tivesse outra rota ou conselhos mais sábios a oferecer, mas não. Sem novidades.

A única coisa interessante no livro é o ponto que o autor fala da importância de se possuir um conectivo entre uma relação e outra, ou seja, uma terceira pessoa para mediar os conflitos de uma relação. Se bem que pensando bem, podemos encarar essa terceira pessoa mais como um profissional da área da saúde em si, do que um amigo ou alguém da família – que tem chances maiores de conhecer o que está errado ou correto dentro da relação – fora isso, o autor não trabalha grandes perspectivas emocionais de uma resolução mais clara e branda entre duas partes (ou mais) que se encontram em conflito.

rating on - RESENHA: Vivendo a Comunicação Não Violenta, por Marshall Rosenbergrating on - RESENHA: Vivendo a Comunicação Não Violenta, por Marshall Rosenbergrating on - RESENHA: Vivendo a Comunicação Não Violenta, por Marshall Rosenbergrating half - RESENHA: Vivendo a Comunicação Não Violenta, por Marshall Rosenbergrating off - RESENHA: Vivendo a Comunicação Não Violenta, por Marshall Rosenberg (1.201 votos, média: 3,50 de 5)
loading - RESENHA: Vivendo a Comunicação Não Violenta, por Marshall RosenbergLoading...
Share

Graduado em Língua Portuguesa, redação, literatura & Ciências sociais. Pós-graduado em literatura contemporânea e geopolítica. Blogueiro, ativista, pai, influenciador digital literário (@postliteral), fundador do @proximoparagrafo (proximoparagrafo.com.br), CEO majoritário do Post Literal (@postliteral), cinéfilo, fãs de gatos e apaixonado por filmes, séries e tudo o que tiver ligação com design.

error: Content is protected !!
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com