[RESENHA #342] Minha história de amor, de Tina Turner

 

TURNER, Tina. Minha história de
amor
. 1ºEd. Tradução por Carolina Simmer. Rio de Janeiro, RJ: Best Seller,
2019. 208p ISBN 978-85-465-0170-0 // R$42,90
Desde a infância em
Nutbush, Tennessee, até sua ascensão à fama ao lado de Ike Turner e depois o
sucesso fenomenal na década de 1980 e além, Tina examina abertamente sua
história pessoal, desde suas horas mais sombrias até seus momentos mais felizes.
Minha história de amor é
uma história explosiva e inspiradora de uma mulher que se atreveu a quebrar
todas as barreiras colocadas em seu caminho, colocando em páginas a mistura de
força, energia, coração e alma que é a marca registrada de Tina. Suas memórias são
fascinantes e emocionantes como qualquer um de seus maiores sucessos.
Cresci ouvindo Tina Tuner.
Não falo apenas de suas músicas, mas sobre como meus pais falavam (e falam) bem
desta mulher e em como ela marcou de forma marcante e significativa os anos de
suas vidas, principalmente a adolescência. “Minha história de amor”, é um
belíssimo retrato de Tina sobre tudo aquilo o que não vemos e não podemos
acompanhar. Quando vemos uma celebridade na tevê, o normal é admirar por sua
feição, talento e discurso, mas nunca sabemos de fato quem aquela pessoa é,
muito menos a marca que ela deixará na terra além  de seu trabalho,
talvez seja este o motivo principal de Tina ter escrito este livro: mostrar
para todos o quão palpável sua figura é, o quanto de problemas ela enfrentou e
enfrenta e o quanto ela é tão humana quanto nós. Seus milhões de fãs,
seguidores e dinheiro, não a fizeram uma mulher envaidecida, muito pelo
contrário, aqui, poderemos observar que estas conquistas, para a autora,
possuem valor, mas não são tudo, aliás, se julgarmos o valor de sua vida e de
suas conquistas, acredito que sua vida tem muito mais à contribuir na sociedade
além de seu dom maravilhoso para com a música.
Minha história de amor é
uma autobiografia escrita por Tina Turner com a autora Deborah Davis e Dominik
Wichmann. O livro lançado pela Best Seller [selo do Grupo Editorial Record],
recebeu cuidados especiais com relação a tradução de Carolina Simmer, que com
certeza, fez um trabalho incrível, mantendo toda a essência da edição original
em Inglês My Love Story. Vale ressaltar que este livro é a continuação do
best-seller de Turner, eu, Tina: A história
da minha vida, 
publicado em 1986.
Eu nunca disse: “Bem, eu
não tenho isso e eu não tenho isso.” Eu disse: “Eu não tenho isso ainda,
mas vou conseguir”.
O livro é simplesmente um
tapa na cara, é um livro cru, despido, um livro que nos coloca pra pensar, que
nos leva à outra dimensão e nos faz pensar sobre como agimos com relação ao
outro, em outras palavras, ele ativa em nós a empatia, uma vez que ele
apresenta uma visão daquilo o que não detínhamos conhecimento anteriormente, e
talvez, esta reflexão seja a chave para nunca parar de lutar, independente quem
apareça para nos derrubar, sabotar ou impedir, afinal, a fraqueza ou a frieza
alheia é apenas uma pequena porcentagem da ignorância que possuímos sobre o
outro, em outras palavras: deter conhecimento acerca de algo, alguém ou
situação, nos coloca em uma situação favorável, uma vez que passamos a
reconhecer o porquê de tal acontecimento nos atingir. E foi assim, com essa
receita, que Tina nos apresentou um universo completamente alternativo: o de
escolha. Você escolhe se você para ou continua quando alguma coisa dá errado.
“E
você sabe o que eu digo para as pessoas que perguntam:” O que você faz quando
todas as probabilidades estão contra você? Eu digo: “Você continua. Você
simplesmente não para. Não importa, se houver um tapa na cara, vire a outra
face.” E a dor que você está sentindo? Você não pode pensar sobre o que está
sendo feito com você agora, ou o que foi feito com você no passado. “Você
apenas tem que continuar.”

 

 
Quando apresentei esta
obra a minha mãe, ela o leu enquanto ouvia “I don’t wanna lose you”, seguida de
milhares de outras músicas da autora. Honestamente, não sei quem se emocionou
mais, se foi minha mãe, como fã, leitora e como mulher, ou eu, como filho,
observador e admirador de grandes mulheres, e ali, certamente haviam duas: uma
é, sem dúvidas, minha mãe, a outra, Tina, a quem eu tive o prazer de saber um
pouco além daquilo o que nos é proporcionado pelas plataformas de mídias
digitais, além de suas aparições e shows, além do supérfluo. Tina, eu
definitivamente não estaria completo sem sua narrativa, a sua dor nos tocou.
Um livro escrito na medida
certa, escrito para fãs, leitores, entusiastas e fãs de uma boa escrita. Só
mais um dos grandes títulos do Grupo Editorial Record.

 

SOBRE A AUTORA
 
tinaturner - [RESENHA #342] Minha história de amor, de Tina Turner

Tina Turner (nascida Anna
Mae Bullock) é uma cantora, compositora, dançarina e atriz americana. Ela
ganhou oito prêmios Grammy. As contribuições consistentes de Turner para o
rock deram a ela o título de “A Rainha do Rock &
Roll”. Além do rock, ela também tocou R & B, soul, dance e
pop music. Ela foi listada na lista da Rolling Stone, The Immortals – The
Greatest Artists of All.


Turner foi reconhecida como uma das artistas de música mais populares e mais
vendidas do mundo de todos os tempos e é a artista de rock feminino mais bem
sucedida de todos os tempos, com vendas recordes superiores a 180
milhões. Ela vendeu mais ingressos para shows do que qualquer outro
artista solo na história. Até o momento, Turner tem 7 singles no Top 10 da
Billboard, 16 singles de R & B nos EUA e mais de 20 hits no Top 40 no
Reino Unido. Todos os seus álbuns desde Private Dancer foram os 10 melhores
hits do Reino Unido.

Turnê mundial de Turner A Break Every Rule Tour teve vendas recordes de
ingressos, visitadas por mais de quatro milhões de fãs. Turner também
derrotou The Rolling Stones em turnê pela Europa com 121 shows durante sua
esgotada turnê Foreign Affair em 1990. Ela acabou tocando para quatro milhões
de pessoas em apenas seis meses. Sua turnê Wildest Dreams de 1996 foi
realizada para 3,5 milhões de pessoas em mais de 250 datas durante dois
anos. Sua turnê mais recente foi a Twenty Four Seven Tour de 2000. Foi
a turnê de maior bilheteria do ano e é a quinta maior turnê de arrecadação na
América de todos os tempos. 

A imprensa popular referiu-se a Turner favoravelmente como “a mais
autêntica diva do rock de todos”, “a primeira verdadeira diva da
alma”, “a mais dinâmica cantora de soul feminino na história da
música” e “um dos artistas mais incendiários da soul music. “

Blogueiro, escritor, poeta, professor, ensaísta, cinéfilo, viajante e filantropo. Estudante de Ciências Sociais em busca de uma compreensão mais assertiva do nosso local em sociedade.

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com